Trump a países muçulmanos: não sejam ‘santuário de terroristas’

O presidente americano declarou-se portador de uma mensagem de "amizade, esperança e amor"

O presidente americano, Donald Trump, pediu neste domingo aos países muçulmanos que se recusem a ser um “santuário dos terroristas”, e anunciou um acordo com os países do Golfo para lutar contra o financiamento do terrorismo.

Trump fez o pedido em Riad, capital saudita, diante de 55 representantes de nações muçulmanas, entre eles 37 chefes de Estado ou governo. Declarou-se portador de uma mensagem de “amizade, esperança e amor”.

O presidente também pediu a todos os países que trabalhem juntos para isolar o Irã, acusando a república islâmica de “alimentar os incêndios dos conflitos sectários e o terrorismo”. “Até que o regime iraniano se mostre disposto a ser um parceiro a favor da paz, todas as nações com consciência devem trabalhar juntas para isolá-lo”, assinalou.

“Os EUA estão preparados para lutar junto com eles em busca da segurança e dos interesses comuns”, declarou. O presidente americano apontou que 65% da população da região tem menos de 30 anos, e com isso existe “um grande futuro para ser construído”, caso não sofra com conflitos e o derramamento de sangue.

Trump chegou no último sábado em Riad para uma visita de dois dias em sua primeira viagem ao exterior desde que chegou à Casa Branca, que inclui escalas em Israel, Palestina, Vaticano, Bélgica e Itália.

(com AFP e EFE)