Traficante ‘El Chapo’ retorna para prisão de onde fugiu

O narcotraficante mexicano foi descoberto depois de se reunir com atores para produzir um filme autobiográfico

O narcotraficante mexicano Joaquín “El Chapo” Guzmán retornou neste sábado para a penitenciária de segurança máxima de Altiplano, de onde fugiu em julho do ano passado por um túnel. Ele só foi descoberto e recapturado por causa do desejo de produzir um filme autobiográfico.

Guzmán, de 58 anos, que era o narcotraficante mais procurado do mundo, foi preso na sexta-feira na cidade de Los Mochis, em Sinaloa, no noroeste mexicano, durante uma operação militar. Oficiais da Marinha e de outras forças seguiam a pista de “El Chapo” há vários meses em zonas montanhosas da região e do estado vizinho de Durango.

O ex-líder do poderoso cartel de Sinaloa, que fugiu na madrugada de 11 de julho, foi localizado em uma casa da cidade de Los Mochis. Guzmán e seu chefe de segurança Orso Iván Gastelum conseguiram escapar por tubulações de esgoto durante um confronto entre militares e criminosos. Com a troca de tiros, um militar foi ferido, cinco criminosos morreram e outros seis foram detidos.

A fuga de ‘El Chapo’ e Gastelum pelo esgoto deu início a uma perseguição subterrânea. Os militares acompanharam a saída dos traficantes à rua e a tentativa de entrar em um carro. Pouco depois eles foram interceptados e presos.

Segundo a procuradora-geral do México Arely Gómez, os militares vigiavam a residência e outros imóveis há um mês. “Um aspecto importante que permitiu determinar a localização de Guzmán foi a descoberta de que ele queria filmar uma obra biográfica”, disse a procuradora, segundo a qual o traficante chegou a se reunir com atrizes e produtores.

A fuga de Guzmán da penitenciária de segurança máxima, em julho, foi cinematográfica. Com a ajuda de um de seus advogados e de outros cúmplices, ele ordenou a construção de um túnel de 1,5 quilômetro a partir da ducha de sua cela, de onde conseguiu escapar. Em liberdade, viajou até as montanhas entre Sinaloa e Durango.

A recaptura de Guzmán representa uma vitória para o governo mexicano, que havia sido duramente criticado por causa da fuga espetacular do narcotraficante. Analistas afirmam agora resta saber se o México estará disposto a extraditar “Chapo” aos Estados Unidos.

(com AFP)