Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Terroristas de Paris tinham ligações na Grã-Bretanha, diz jornal ‘WSJ’

Segundo um oficial da inteligência europeu, o país seria o próximo alvo dos extremistas do Estado Islâmico

A rede militante por trás dos ataques do mês passado em Paris tinha ligações na Grã-Bretanha, afirmou nesta sexta-feira o Wall Street Journal, citando autoridades ocidentais não identificadas. Várias pessoas suspeitas de terem conexão com Abdelhamid Abaaoud, jihadista do Estado Islâmico (EI) mentor dos ataques de 13 de novembro, têm a Grã-Bretanha como base, de acordo com as autoridades citadas pelo jornal.

Essas pessoas, incluindo algumas de origem marroquina, teriam como base a área de Birmingham, centro da Inglaterra, a 190 quilômetros de Londres.

Leia também:

Alemanha prende suspeito de vender armas a terroristas de Paris, diz jornal

Em novo vídeo, EI mostra crianças assassinando homens sírios

Britânicos realizam primeiros ataques aéreos na Síria

Não houve nenhuma indicação oficial em Londres sobre uma conexão entre o grupo que realizou o ataque na capital francesa, que matou 130 pessoas, e militantes britânicos. Contudo, grupos extremistas costumam ter contatos espalhados, incluindo via redes sociais.

Próximo alvo – Um oficial da inteligência contraterrorista europeu afirmou à rede americana CNN que a Grã-Bretanha pode ser o próximo cenário de atentados promovidos por extremistas do EI. Segundo ele, os chefes do grupo terrorista estariam ordenando aos jovens jihadistas britânicos na Síria e no Iraque que retornem ao seu país de origem para efetuar os ataques.

A Grã-Bretanha sofreu o seu pior ataque do terrorismo islâmico em julho de 2005, quando 52 pessoas foram mortas por homens-bomba no metrô e em um ônibus. O país, que começou a bombardear o EI na Síria nesta semana, está atualmente em elevado estado de alerta.

(Com Reuters)