Temer encontra Macri para discutir Mercosul e laços com Argentina

Os presidentes do Brasil e da Argentina também discutiram o papel da Venezuela no bloco sul-americano e a paz na Colômbia

Em visita à Argentina, o presidente Michel Temer reuniu-se nesta segunda-feira com o mandatário argentino Mauricio Macri para discutir o fortalecimento do Mercosul, a crise política e econômica na Venezuela e a rejeição do povo colombiano ao acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Após o encontro, Temer e Macri deram uma entrevista coletiva na residência presidencial, em Olivos.

“Em um mundo globalizado, impulsionar o Mercosul servirá para integrarmos o mundo. Devemos lutar contra a pobreza, o crime organizado e o narcotráfico – são muitos temos que nos unem”, disse Macri. Sobre a integração do país governado por Nicolás Maduro ao bloco, o presidente brasileiro afirmou que os quatro membros fundadores do Mercosul têm a mesma posição. “Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai têm a mesma posição formal de que Venezuela deve cumprir os requisitos necessários para a integração definitiva ao Mercosul”, declarou Temer.

LEIA MAIS:
Maduro: Entraremos pela janela se formos expulsos do Mercosul
Mercosul, enfim, veta a presidência venezuelana do bloco
Argentina “respeita” o “processo institucional” do Brasil

Na entrevista coletiva, os dois presidentes também falaram a respeito da vitória do “não” no referendo que votou o acordo de paz do governo da Colômbia com as Farc. Temer pediu “uma opção de paz na Colômbia”, e Macri ressaltou que o resultado da consulta popular foi muito apertado (50,2% dos votos contra o acordo, e 49,8%% pelo “sim”), e que “muita gente acredita que na via do acordo, e outros que também querem a paz, mas por outros meios”.

Ao final da entrevista, Temer e Macri ressaltaram a importância das relações comerciais entre os dois países. O mandatário brasileiro destacou “os laços históricos que nos unem há anos” para explicar que “quis que a primeira viagem internacional fosse para a América do Sul, para a Argentina”. “Concluímos que podemos trabalhar juntos não só para fortalecer o Mercosul. Queremos aumentar nossas relações não apenas políticas, mas também comerciais”, disse Temer. “Este encontro coroa meses de trabalho, com uma agenda ambiciosa”, disse o presidente argentino.

Paraguai

De Buenos Aires, o presidente Temer seguirá para Assunção, onde será recebido pelo presidente do Paraguai, Horacio Cartes, na residência presidencial Mburuvicha Roga. Em sua primeira visita oficial ao Paraguai, Temer irá tratar de temas ligados ao desenvolvimento fronteiriço em todas as suas dimensões, como infraestrutura, comércio e segurança, de acordo com informações divulgadas pelo Itamaraty.

 

 

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Micky Oliver

    Isso aí Temer! Visitar nações tradicionais ao Brasil!

    Curtir