Suécia informa que vai expulsar entre 60 e 80 mil refugiados

A Suécia pretende expulsar entre 60.000 e 80.000 pessoas que tiveram suas solicitações de asilo negadas, anunciou nesta quinta-feira o ministro do Interior do país escandinavo, Anders Ygeman. Esse número representa quase metade dos 163.000 solicitantes de asilo no país em 2015, o número mais alto per capita em toda a Europa.

Dos cerca de 58.800 pedidos tramitados no ano passado, 55% deles foram aceitos. O ministro declarou aos meios de imprensa suecos que devido ao grande número de imigrantes que serão expulsos, o governo utilizará aviões charter para sua deportação durante vários anos. “Estamos falando em mais de 60.000 pessoas. Acredito que vamos ver mais aviões fretados, especialmente sob os auspícios da União Europeia”, declarou o ministro do Interior sueco.

Leia também

Cidade alemã veta acesso de refugiados à piscina por assédio

Mais de 1 milhão de refugiados e imigrantes chegaram à Europa em 2015

Mikael Ribbenvik, chefe de operações da Agência de Migração sueca, disse à rede BBC que a avaliação de todos os pedidos de asilo é “uma enorme tarefa” e exigiria mais recursos do governo. A maioria dos pedidos de asilo negados deve-se à falta de documentação dos solicitantes e erros ou omissões propositais no preenchimento dos formulários.

Nesta segunda-feira, a Suécia viveu um drama que aguçou o discurso para impor mais limites aos refugiados. Um requerente de asilo de 15 anos de idade foi preso em Molndal, perto de Gotemburgo, depois de esfaquear uma empregada de um asilo até a morte.

(Da redação)