Suécia chama Exército para gerenciar onda de refugiados

"Não temos mais espaço", disse porta-voz da agência de imigração do país

A Suécia convocou o Exército para ajudar a coordenar a crescente chegada de refugiados ao país. “Não temos mais espaço”, disse um porta-voz da Migrationsverket, a agência de imigração do país. Os militares suecos irão atuar na parte administrativa, em vez de enviar soldados às ruas.

Há algumas semanas, a Migrationsverket tem recebido suporte da agência sueca que atua em desastres naturais e catástrofes humanitárias no exterior. Embora estejam trabalhando em turnos dobrados e aos finais de semana, os poucos funcionários da agência de imigração não conseguem encontrar alojamento para os refugiados que chegaram na última onda migratória, reportou o jornal britânico The Guardian.

Leia também:

UE teme ‘catástrofe’ com refugiados chegando durante o inverno europeu

UE prevê a chegada de 3 milhões de imigrantes entre 2015 e 2017

Segundo Fredrik Bengtsson, porta-voz da Migrationverket, os alojamentos estatais para refugiados estão cheios desde 2012, e as autoridades não conseguem mais encontrar abrigos particulares para imigrantes recém-chegados, que estão dormindo no chão dos escritórios de recepção. “No momento, estamos apenas tentando dar um teto para essas pessoas”, disse Bengtsson.

Desde que prometeu fornecer residência permanente a quase todos os sírios que entrem em seu território, em 2013, a Suécia tenta lidar com o crescente contingente de refugiados no país. Das quase 800.000 pessoas que chegaram à Europa pelo mar este ano, mais de 120.000 pediram asilo à Suécia – embora os suecos representem apenas 1 em cada 50 cidadãos da União Europeia.

(Da redação)