Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sobreviventes de Hiroshima participarão de encontro com Obama

Presidente americano vai prestar homenagem às vítimas da bomba atômica jogada pelos Estados Unidos no Japão, mas descartou a possibilidade de pedir perdão pelo ataque

Ao menos três sobreviventes japoneses da bomba atômica participarão nesta sexta-feira, em Hiroshima, de uma cerimônia com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. O líder americano prestará uma homenagem às vítimas do ataque de 1945, porém, declarou que não vai pedir desculpas pelo bombardeio.

A Associação de Sobreviventes do Japão confirmou na quinta-feira que três de seus integrantes foram convidados a participar da histórica visita de Obama, a primeira de um presidente americano em exercício à cidade japonesa. As vítimas são Sunao Tsuboi, de 91 anos e Mikiso Iwasa, de 87 – ambos presentes no ataque de Hiroshima – e Terumi Tanaka, de 84, que estava em Nagasaki quando a segunda bomba atômica foi lançada pelas tropas dos Estados Unidos.

Obama participará de uma breve cerimônia junto com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, diante do monumento que lembra as vítimas do ataque nuclear no Parque da Paz, construído em uma área arrasada pela bomba. O presidente americano fará um discurso durante o evento, mas a Casa Branca descartou que a fala vá incluir um pedido de desculpas pelo ataque que forçou a rendição do Japão na II Guerra Mundial. “É importante reconhecer que, em meio a uma guerra, os líderes tomam decisões de todo tipo”, afirmou Obama à TV japonesa NHK.

Leia também:

EUA retiram embargo de venda de armas ao Vietnã

Espião russo é condenado a dois anos e meio de prisão nos EUA

Sunao Tsuboi, que tinha 20 anos quando a bomba atômica foi lançada sobre Hiroshima, é o presidente da Associação de Sobreviventes de sua cidade. Em entrevista à agência EFE há um ano, Tsuboi afirmou que sonhava com o dia em que o presidente dos Estados Unidos visitaria Hiroshima para fazê-lo entender o quão importante é abolir os arsenais nucleares, “que não servem para nada”.

Apesar de parte dos sobreviventes ter se mostrado contente com a visita de Obama, manifestantes a favor do desarmamento nuclear realizaram protestos contra o presidente, acusando-o de hipocrisia. De acordo com o jornal The Guardian, ativistas criticam a administração Obama por ter enviado ao Congresso um orçamento que destinava 1 trilhão de dólares para atualizar e expandir a capacidade de armas nucleares do país, além de cortar gastos dos esforços de não-proliferação do armamento.

No Japão, o único país que foi vítima de ataques nucleares, há cerca de 180 mil sobreviventes e sua média de idade gira em torno dos 80 anos. As bombas atômicas lançadas em agosto de 1945 acabaram imediatamente com a vida de 80 mil pessoas em Hiroshima e de 74 mil em Nagasaki, mas as mortes aumentaram em milhares durante os anos posteriores devido aos ferimentos e à radiação.

(Com EFE)