Sobe para 104 o número de vítimas fatais de explosões na China

Equipes de resgate encontraram mais um sobrevivente neste sábado, três dias após o acidente

A imprensa oficial da China informou neste sábado que o número de mortos nas duas explosões em Tianjin, ocorridas na quarta-feira, subiu para 104. O número foi atualizado após cerca de 70 soldados especializados em materiais químicos entrarem no terminal de contêineres do porto de Tianjin, local das explosões, em busca de sobreviventes. Os soldados acharam com vida um homem de aproximadamente 50 anos que estava a 50 metros do epicentro das deflagrações.

LEIA TAMBÉM

Explosões na China deixam paisagem pós-apocalíptica

Vídeo: violenta explosão em cidade deixa mortos e centenas de feridos

Nesta sexta, as autoridades locais declararam que o fogo no armazém estava “praticamente extinto”. Hoje, no entanto, afirmaram que o espaço voltou a arder em chamas e que ocorreram novas explosões de menor intensidade.

A área foi evacuada para evitar a contaminação por produtos químicos, pois há a suspeita de que o local abrigava contêineres com cianureto de sódio, altamente tóxico, nitrato de amônio, nitrato de potássio e carboneto de cálcio. O fluxo de carros, petróleo e minério de ferro também foi interrompido em Tianjin – uma grande cidade portuária e porta de entrada marítima para Pequim.

Pelo menos 21 bombeiros dos mais de mil que foram enviados para conter as enormes chamas e explosões morreram, ainda estão desaparecidos. Esse é o desastre com maior número de bombeiros chineses mortos em mais de seis décadas. Mais de 720 pessoas também ficaram feridas. Três dias depois do ocorrido, ainda não se sabe a causa do acidente.

(Com agências EFE e Estadão Conteúdo)