Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Síria já se desfez de um terço de seu arsenal químico, diz Opaq

Expectativa da organização internacional é que regime de Bashar Assad mande todos os estoques para o exterior até o fim de abril

O regime da Síria já destruiu ou mandou para o exterior um terço do seu arsenal de armas químicas, anunciou nesta terça-feira a coordenadora da missão encarregada de supervisionar o processo. “Um terço dos produtos químicos sírios foi retirado um destruído”, declarou Sigrid Kaag ao conselho executivo da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq). “É uma boa notícia e eu espero uma aceleração sustentada e uma intensificação do esforço”, acrescentou.

Leia também:

Síria destrói centros de produção de armas químicas

Emprego de armas químicas rompe marco civilizatório

Chefe da Opaq espera que Nobel inspire novos tratados pelo fim das armas

Mesmo assim, a Síria não cumpriu várias datas intermediárias para a retirada ou destruição de seu arsenal químico que estavam previstas em um programa aprovado pelas Nações Unidas após o acerto do acordo russo-americano que evitou um ataque à Síria, depois que o regime do ditador Bashar Assad foi acusado de usar essas armas contra a população.

Infográficos

Cronologia: o emprego de armas químicas e os esforços para bani-las

Conheça os principais ataques com armas químicas empreendidos ao longo da história e as tentativas de bani-las do front

Isso levou a Síria a submeter nesta terça-feira um plano revisado para a remoção de todos seus agentes químicos de seu território até o final abril, disse a Opaq. “O governo sírio reafirmou seu compromisso de implementar as operações de remoção de maneira oportuna”, disse Ahmet Uzumcu, chefe da Opaq, aos delegados no encontro desta terça-feira, acrescentando que a Síria tem todo o equipamento necessário para ceder os agentes remanescentes, incluindo blindados para a proteção dos contêineres de carregamento.

Mas diplomatas ocidentais disseram que o prazo revisado é muito lento para vários países ocidentais, que dizem que os agentes químicos deveriam ser enviados até o final de março se for mantida a determinação de cumprir a destruição completa das armas químicas sírias até o final de junho.

Os Estados Unidos disseram precisar de 90 dias para destruir aproximadas 500 toneladas métricas das substâncias mais tóxicas do arsenal do presidente Bashar Assad. A Síria declarou um total de 1.300 toneladas métricas de armas químicas à Opaq.

No entanto, o processo tem se acelerado. Há duas semanas, Damasco só havia mandado para fora ou destruído 11% de seus agentes químicos. Em outubro, a Opaq anunciou que a Síria havia conseguido destruir todas as suas fábricas declaradas desses produtos.

Nos últimos dias, a organização disse ter confirmado que mais dois carregamentos rumaram para o porto de Latakia, no norte sírio, e que devem ser transferidos ao navio norte-americano MV Cape Ray e depois para instalações comerciais de destruição na Grã-Bretanha e na Alemanha.

(Com agência Reuters e Estadão Conteúdo)