Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Colômbia declara cessar-fogo com Farc até 31 de outubro

'Espero que possamos avançar nos diálogos para concretizar as regras e os acordos que nos permitam iniciar a solução para este conflito', disse Santos

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, afirmou nesta terça-feira que o cessar-fogo com as Farc, em vigor desde 29 de agosto, será mantido até o próximo dia 31 à espera de consensos após a vitória do “não” no referendo sobre o acordo de paz entre o governo e a guerrilha. As partes tinham pactuado um cessar-fogo bilateral e definitivo, mas com a nova situação criada com o referendo, o governo se viu na obrigação de prorrogá-lo por meio de uma medida especial.

“Espero que possamos avançar nos acordos e nos diálogos para que possamos concretizar as regras e os acordos que nos permitam iniciar a solução para este conflito”, afirmou o governante. Santos se pronunciou depois de se reunir na Casa de Nariño, sede governo, com líderes de organizações financeiras e das igrejas cristãs em busca de apoios para o diálogo que iniciará com os ex-presidentes Álvaro Uribe e Andrés Pastrana, que lideram os setores a favor da opção pelo “não” no referendo.

Leia também
Presidente colombiano reabre diálogo de paz com as Farc
O que significa o ‘não’ da Colômbia sobre o acordo com as Farc?
População da Colômbia rejeita acordo de paz com as Farc

O presidente colombiano, que desde o “não” dos colombianos no referendo se disse disposto a iniciar um diálogo nacional, comemorou poder se reunir amanhã com Pastrana e Uribe, dois dos mais ferrenhos opositores das negociações com as Farc.

“Trata-se novamente de buscar os denominadores comuns, quais são suas preocupações, quais são suas observações para ver se podemos introduzir através do diálogo as observações nesse grande acordo nacional que nos permita continuar na busca pela paz”, ressaltou Santos.

(Com agência EFE)