Rússia acusa EUA de não cumprirem regras do cessar-fogo na Síria

Segundo o Ministério da Defesa russo, a oposição patrocinada pelos americanos aumentou o número de ataques contra bairros residenciais

O governo russo afirma que os Estados Unidos não estão cumprindo suas obrigações no acordo de trégua na Síria. Um comunicado do Ministério da Defesa da Rússia disse que Washington está relutante em enfrentar e controlar os grupos rebeldes apoiados pelos americanos no cessar-fogo – a Rússia, por outro lado, é a principal apoiadora do ditador sírio Bashar Assad.

“Parece que o objetivo da ‘nebulosa retórica’ de Washington seja ocultar o fato de não cumprir sua parte dos compromissos, em primeiro lugar sobre a separação dos rebeldes moderados dos terroristas”, acusou o porta-voz do Ministério de Defesa russo, Igor Konachenkov. “No terceiro dia da trégua, só o Exército sírio respeitava o cessar-fogo. No mesmo momento, a oposição moderada patrocinada pelos Estados Unidos aumentou o número de ataques contra os bairros residenciais”, acrescentou.

LEIA MAIS:
EUA e Rússia decidem prolongar trégua na Síria
Cessar-fogo na Síria é respeitado ‘em grande parte’
Ataque dos EUA destrói fábrica de armas químicas do EI no Iraque

Também nessa quinta, a Rússia anunciou que as forças armadas sírias iniciaram a retirada de tropas e armamentos pesados para a criação de uma área desmilitarizada em Alepo, em cumprimento ao acordo de trégua negociado com os EUA e prolongado por mais 48 horas nessa quarta.

“A partir das 11h (hora local) começou a retirada de carros blindados para posições provisórias. A retirada é supervisionada por drones e representantes da imprensa”, disse o comandante das tropas russas na cidade do norte do país, Sergei Kapitsin, em videoconferência exibida em Moscou. Kapitsin assegurou que as forças governamentais estão respeitando seu compromisso e acusou a oposição síria de não fazer o mesmo.

Ajuda humanitária – O acordo foi estendido apesar das violações “de ambas partes” em conflito e da preocupação dos Estados Unidos pela falta de entrega de ajuda humanitária a áreas sitiadas, um componente-chave do acordo. A Organização das Nações Unidas (ONU) confirmou nessa quinta-feira a preocupação americana e pediu ao governo sírio que autorize “imediatamente” a entrada de ajuda humanitária nas localidades cercadas.

As autoridades da organização também anunciaram que vinte caminhões que transportam ajuda humanitária da organização para a zona leste de Alepo “cruzaram a fronteira” turca, mas esperam na “zona tampão” entre a Turquia e a Síria por condições de segurança adequadas para chegar à região.

Violação do cessar-fogo – De acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos, o descumprimento do cessar-fogo na Síria aumentou nesta quinta-feira de forma notável, embora uma calma relativa prevaleça na maior parte do território. A ONG destacou que nas primeiras 72 horas de cessar-fogo não foram registradas mortes, mas sim um número indeterminado de feridos.

Algumas das infrações documentadas pelo grupo foram registradas na cidade de Alepo, onde um menor de idade foi atingido por disparos de um franco-atirador no bairro de Al Mashariqa, sob o controle do regime de Assad. Além disso, quatro foguetes de origem desconhecida caíram em Al Ais, nos arredores da capital da província.