Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Romney se desculpa por bullying praticado na adolescência

Pré-candidato teria feito piada com colega por causa de sua orientação sexual

O pré-candidato republicano nas eleições americanas Mitt Romney pediu desculpas nesta quinta-feira pelas “provocações” feitas na época do ensino médio contra alguns colegas de escola que poderiam ser interpretadas como homofóbicas. As declarações foram dadas em uma entrevista ao apresentador da Fox News Radio Brian Kilmeade, pouco depois da publicação de uma matéria do jornal Washington Post que conta fatos da vida de Romney quando adolescente.

O republicano afirmou que não se lembra dos dois episódios citados pela reportagem, mas afirmou que a orientação sexual dos outros estudantes eram “a coisa menos importante para nós nos anos 1960”. “As provocações durante o ensino médio aconteceram há muito tempo”, comentou Romney durante uma entrevista à TV americana. Ainda assim, o pré-candidato decidiu se redimir: “Se algo que eu disse foi ofensivo a alguém, eu sinto muito, sinto muitíssimo, mas não havia a intenção da maldade”.

Leia também:

Leia também: Romney tem vantagem de 50 pontos entre evangélicos

Bullying – O repórter lembra um incidente específico, no qual um colega de Romney teve seu cabelo cortado por um grupo de garotos – do qual o republicano fazia parte. O garoto tinha cabelo loiro e uma franja sobre os olhos, visual diferente dos outros estudantes do colégio de elite Cranbrook School, em Bloomfield Hills, Michigan. “Ele não pode ter essa aparência. Isso é errado. Olhe para ele!”, teria dito Romney, que nega.

O jornalista também descreveu uma situação em que um outro estudante – que só se assumiu gay algum tempo depois – já era chamado de “boa menina” por Romney e seus amigos. O republicano afirmou não se lembrar da história, mas comentou que a expressão era comum em colégios de meninos.

Defesa – Em um pronunciamento ao Washington Post, a porta-voz do pré-candidato afirmou que “qualquer um que conheça Mitt Romney sabe que ele não tem um só grama de maldade no corpo”. “Estas histórias de 50 anos atrás me parecem exageradas e sem propósito, e o governador Romney não se lembra de participar destes incidentes”, enfatiza.

A mulher dele, Ann, costuma dizer que seu marido gostava de pregar peças durante o ensino médio, época em que eles iniciaram o namoro. Na entrevista à TV, Romney credita a ela a maturidade que adquiriu ao longo dos 42 anos de casamento. “Eu conheci Ann e me tornei diferente, servi como missionário da igreja”, conta. “Há elementos na vida que mudam a gente, e eu sou uma pessoa bem diferente de quando estava na escola, é claro. Alguns vão querer falar sobre os tempos do ensino médio… Se você realmente acha que isto é importante, fique à vontade.”

Casamento gay – A reportagem do Washington Post chamou mais a atenção por ter sido divulgada um dia depois do anúncio histórico do presidente Barack Obama favorável ao casamento gay. Na mesma ocasião, Romney reforçou sua posição contrária a esse tipo de união: “Acredito que o casamento é um relacionamento entre um homem e uma mulher”.