Procura-se: EUA oferecem 10 milhões de dólares por terrorista

No topo da lista estão o líder da Al Qaeda, Ayman Al-Zawahiri, e do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, que valem 25 milhões de dólares cada um

Os Estados Unidos anunciaram nesta quarta-feira uma recompensa de 10 milhões de dólares por informação que leve à identificação ou localização de Abu Mohammad al-Julani, líder da Frente da Conquista do Levante, antiga filial síria do grupo terrorista Al Qaeda.

É a primeira vez que o Programa Recompensas por Justiça, subordinado ao Departamento de Estado americano, oferece prêmio por um integrante desse grupo.

Al-Julani passa a figurar na lista de terroristas mais procurados dos Estados Unidos, onde compartilha espaço com o líder da Al Qaeda, Ayman Al-Zawahiri, e do Estado Islâmico (EI), Abu Bakr al-Baghdadi. Os dois ocupam o topo da lista e, por cada um, Washington promete 25 milhões dólares.

O Departamento de Estado já havia imposto sanções à Al-Julani em 2013 ao incluí-lo no rol de terroristas, o que resultou no bloqueio de todos seus bens em jurisdição americana e na proibição de fazer transações vinculadas aos Estados Unidos.

 

Ataques

A Frente da Conquista do Levante, anteriormente conhecida como Frente Al Nusra, anunciou em julho de 2016 a mudança de nome e disse que se desvinculava da Al Qaeda. O Departamento de Estado, no entanto, continua considerando o grupo terrorista como parte Al Qaeda, dada a lealdade que Al-Julani expressou em 2013 a seu máximo dirigente, Al-Zawahiri.

“Sob a liderança de Al-Julani, a Frente Al Nusra fez múltiplos ataques terroristas em toda a Síria, frequentemente contra civis”, disse o Departamento de Estado em comunicado.

O documento aponta que em abril de 2015 o grupo supostamente sequestrou e depois libertou cerca de 300 civis curdos e, em junho desse mesmo ano, assumiu a responsabilidade pelo massacre de 20 residentes em Qalb Lawzeh, na Síria.

 (com EFE)