Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Príncipe saudita morre em queda de helicóptero

Vice-governador da província próxima ao Iêmen, Mansour bin Muqrin era filho de príncipe que foi preterido ao posto de herdeiro do trono saudita

Um helicóptero com diversos oficiais sauditas caiu próximo da fronteira da Arábia Saudita com o Iêmen. Entre os mortos, está o príncipe Mansour bin Muqrin, vice-governador da província de Asir, no sudoeste do país, região onde aconteceu o acidente. Todos os dez ocupantes da aeronave morreram, segundo informa a rede estatal Al Arabiya.

Os destroços do helicóptero foram encontrados na reserva florestal de Jarf Rida, a 20 km de Abha, cidade litorânea onde Muqrin estava em visita oficial a projetos locais. O ministério de Interior saudita divulgou um comunicado no qual anunciou estar “buscando por sobreviventes”. Os motivos da queda estão sendo investigados pelas autoridades.

Post do Twitter mostra imagens dos destroços do helicóptero em que estava o príncipe Mansour bin Muqrin.

De acordo com a BBC, Mansour, escolhido para o cargo de vice-governador de Asir em abril, era filho do príncipe Muqrin bin Abdulaziz, ex-chefe de inteligência da Arábia Saudita. Ele ocupava o posto de herdeiro ao trono do reino entre janeiro e abril de 2015, quando foi substituído na linha sucessória por Mohammed bin Salman, filho de 32 anos do rei Salman.

Neste sábado, o comitê anticorrupção da Arábia Saudita, chefiado por Mohammed bin Salman, decretou a prisão de 11 príncipes, quatro ministros e vários ex-governadores.  Entre os presos, estão o príncipe bilionário Alwaleed bin Talal, que possui a empresa de investimentos Kingdom Holding, e o ex-ministro das Finanças saudita, Ibrahim al-Assaf.

Também no sábado, o governo saudita interceptou e destruiu um míssil balístico próximo à capital Riad, disparado do Iêmen por rebeldes houthi, que detêm parte do controle do país. A Arábia Saudita fechou as fronteiras terrestres, marítimas e aéreas com a nação vizinha. Os oficiais não apontaram relação entre o acidente com Mansour e as forças houthi.