Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pré-candidato nos EUA, Rick Perry representa conservadores republicanos

Jairo Mejía.

Washington, 30 dez (EFE).- O governador do Texas, Rick Perry, aspirante presidencial republicano que representa o lado mais conservador de seu partido, é um orador que não cala apesar seus contínuos lapsos verbais e sofreu um desânimo na preparação para as primárias.

Cultivando seu estilo texano, Perry se fixou em uma imagem de conservador que considera que o atual Governo democrata declarou guerra à religião, critica a presença de homossexuais no Exército e quer suprimir a reforma da saúde do Governo de Barack Obama.

Perry se apresenta às primárias republicanas após ganhar sua terceira legislatura como governador do Texas, um estado onde sua popularidade é muito mais sólida que em nível nacional.

O Texas deu ao país o presidente republicano mais recente, George W. Bush, que também era governador desse estado do sul quando foi eleito pela primeira vez em 2000.

Perry não hesita em tirar proveito de seus erros, como quando se esqueceu em um debate de uma das agências federais que tinha prometido eliminar se fosse presidente, e até reconheceu aos eleitores republicanos em um anúncio de campanha: ‘se buscam um orador loquaz não sou obviamente seu homem’.

O ponto forte de Perry é ser um conservador sem papas na língua, que não hesita em assegurar que a recuperação econômica tem ‘uma base bíblica’, e que apesar de seu passado como político democrata, um dia compreendeu que Deus tinha um plano para ele.

Seus rivais mais conservadores o chamaram de inconsistente por apoiar em 2001 uma lei no Texas para que os hispânicos, a minoria que cresce rápido neste estado que faz fronteira com o México, recebam ajuda para chegar à universidade mesmo sem ter regularizado sua situação.

Os outros pré-candidatos republicanos veem essa concessão como um borrão em sua carreira e tentaram desacreditar suas ideias sobre imigração, que em grande parte dos adversários republicanos são contrárias a permitir a regularização de hispânicos que ficam anos trabalhando no país.

Outra polêmica que atacou o lado mais conservador de Perry foi sua proposta como governador de que todas as meninas do Texas recebessem a vacina contra o vírus do papiloma humano, uma das causas do câncer de colo de útero.

Seus oponentes mais próximos ao movimento conservador do Tea Party criticaram sua decisão, já que na sua opinião a vacinação contra esta doença, que pode ser transmitida sexualmente, promove a promiscuidade entre as adolescentes.

No cenário desta história também foi divulgado o vínculo de um dos assessores de Perry com a farmacêutica Merck, que produz a vacina, assim como as contribuições de mais de US$ 30 mil por parte da companhia à campanha do político desde 2000.

Perry quis persuadir os eleitores republicanos com mensagens televisivas nas quais acentua seus valores cristãos, suas raízes texanas e sua postura crítica contra o Governo federal e a administração de Barack Obama.

O governador do Texas se referiu a si mesmo como o ‘outsider’ (desconhecido) disposto a surpreender e ganhar a confiança dos eleitores republicanos para concorrer nas urnas com Obama nas eleições presidenciais de novembro de 2012.

Perry se serviu de seu currículo como governador do Texas, a segunda economia dos Estados Unidos atrás da Califórnia, e se vangloriou de favorecer o crescimento, a criação de emprego e a atração de investimentos durante seu mandato.

Rick Perry está casado com Anita Perry e tem uma filha, Sydney, e um filho, Griffin. O aspirante republicano nasceu em um pequeno povoado do Texas em 1950, e explorou sua imagem de granjeiro e piloto das forças aéreas durante os anos 70, dois perfis, o rancheiro e militar, que os eleitores republicanos gostam.

Embora durante um tempo tenha sido considerado favorito, sua popularidade se desinflou rapidamente com seus erros verbais, sua falta de um discurso convincente caso chegue à Casa Branca e a ascensão de seus rivais. EFE