Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pentágono diz que laboratórios em 17 Estados e 3 países receberam antraz

Amostras da bactéria foram enviadas por engano para Austrália, Coreia do Sul e Canadá

O Pentágono informou nesta quarta-feira que 51 laboratórios em 17 Estados americanos e três outros países receberam amostras suspeitas de antraz ativo, um número maior do que o divulgado anteriormente, acrescentando que ainda pode subir no decorrer da investigação.

O Departamento de Defesa dos EUA disse que não há sinal de que o envio das amostras das bactérias potencialmente letais foi resultado de uma ação deliberada. O Pentágono declarou que não há registros de qualquer infecção ou perigo ao público.

Leia mais:

Secretário de Defesa dos EUA monitora investigação militar sobre antraz

Exército dos EUA enviou antraz por engano para suas bases

O Pentágono já havia divulgado os três países envolvidos no caso: Austrália, Coreia do Sul e Canadá. Segundo o órgão, as únicas amostras de antraz vivo confirmadas eram procedentes de uma base do Exército dos EUA em Utah como parte de um programa para desenvolver testes que permitam identificar ameaças diante do risco de possíveis ataques biológicos.

Na terça-feira, o Pentágono afirmou que as supostas amostras de antraz haviam sido enviadas a laboratórios em 12 Estados americanos, assim como àqueles três países já em 2006. O Pentágono ordenou na semana passada uma revisão abrangente das práticas destinadas a tornar as bactérias inativas.

A manipulação de antraz pelo Pentágono levantou mais preocupações sobre como o governo dos EUA gerencia tais agentes patogênicos perigosos. O incidente ocorre após a divulgação no ano passado de que o Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) manuseou mal amostras de antraz num caso semelhante.

(Com Agência Reuters)