Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Parlamento da Venezuela começa a discutir anistia de presos políticos

Projeto foi uma das principais promessas de deputados opositores durante campanha para eleições parlamentares

A Assembleia Nacional da Venezuela, que agora tem sua maioria formada por opositores, dará início às discussões sobre uma lei de anistia dos presos políticos do país nesta segunda-feira. À tarde, deputados se reunirão com advogados e familiares de políticos detidos para a apresentação do projeto, que foi uma das promessas dos integrantes da Mesa de Unidade Democrática (MUD) durante a campanha para as eleições parlamentares.

O novo Parlamento venezuelano tomou posse na última terça-feira, mas o debate sobre a anistia foi adiado com a impugnação de três deputados opositores, acusados de irregularidades eleitorais pelos chavistas. A Assembleia Nacional, porém, permitiu que esses parlamentares assumissem os seus cargos na quarta-feira, aumentando para 112 o número de deputados empossados e garantindo à oposição a importante maioria de dois terços.

Leia também:

Chavistas pedem que Justiça anule decisões do Parlamento venezuelano

Na cúpula do Mercosul, Macri pede libertação de presos políticos na Venezuela

Entre os parlamentares que apoiam as discussões sobre uma lei de anistia aos presos políticos está o presidente do Parlamento, Henry Ramos Allup. Ele encara a questão como um assunto urgente para a Assembleia e abordou o tema em seu primeiro dia no cargo.

O governo de Nicolás Maduro, no entanto, já afirmou que pretende vetar qualquer medida que liberte os presos políticos, especialmente Leopoldo López, líder do partido Vontade Popular. Ele foi acusado de terrorismo e incitação ao crime por incentivar uma manifestação em fevereiro de 2014 que resultou em três mortes. López se entregou à Guarda Nacional em fevereiro de 2014 e foi condenado a quase 14 anos de prisão.

(Da redação)