Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Parlamento alemão aprova ação contra EI na Síria

Governo de Angela Merkel deve enviar caças e militares à região, mas não pretende participar ativamente dos bombardeios ao país

O Bundestag, Câmara Baixa do Parlamento da Alemanha, aprovou nesta sexta-feira os planos do governo para participar da missão contra o Estado Islâmico (EI) na Síria. Dos 598 parlamentares que participaram da votação, 445 se posicionaram a favor, 146 foram contra e sete se abstiveram do projeto. A missão do país deve incluir o envio de seis caças de reconhecimento Tornado, aeronaves de abastecimento e até 1.200 militares.

Os grupos conservador e social-democrata, que formam a base aliada do governo da chanceler Angela Merkel, já haviam indicado a intenção de apoiar a missão e, juntos, representam 80% das cadeiras. Por outro lado, os dois partidos da oposição, Die Linke e Die Grünen, indicaram durante o debate prévio, iniciado na quarta-feira, que votariam contra a proposta. Para eles, o terrorismo internacional não pode ser solucionado com bombardeios, e a missão alemã carece de planos e objetivos.

Leia também:

Cameron defende atuação de britânicos em bombardeios na Síria

Bombardeios da Rússia na Síria já deixaram mais de 1.500 mortos

A Alemanha se comprometeu a dar mais suporte à ação militar contra o EI na Síria desde os atentados terroristas a Paris, em 13 de novembro. A missão militar alemã terá um ano de duração e orçamento de 134 milhões de euros. O país vai realizar trabalhos de reconhecimento, segurança e logística em território sírio, mas não planeja se envolver ativamente nos ataques. Ou seja, as forças alemãs estarão armadas e autorizadas a se defenderem caso atacadas, porém os pilotos não conduzirão bombardeios na região, como fazem países como Estados Unidos, França, Rússia e, desde esta quinta-feira, a Grã-Bretanha.

(Da redação)