Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Para conter ultradireita, Merkel quer ministro no Parlamento

Jornal alemão diz que chanceler alemã pediu a Wolfgang Schauble, o parlamentar mais antigo em atividade do Bundestag, para assumir o cargo de líder da casa

Considerado uma das figuras mais influentes do governo de Angela Merkel, Wolfgang Schauble, o atual ministro das Finanças alemão, deve deixar o cargo e ocupar, a pedido da chanceler, a cadeira de presidente do Bundstag, o Parlamento nacional. A informação foi divulgada pelo jornal Bild Zeitung, um dos maiores do país.

De acordo com fontes ouvidas pelo jornal, Merkel e Volker Kauder, líder da coalizão governista CDU-CSU no Bundestag, pediram para que Schauble assumisse a cadeira da presidência do parlamento, vaga desde a saída de Norbert Lammert, que deixou o posto neste ano após doze anos no cargo.

O movimento é visto como uma forma de Merkel conter os avanços do Alternativa para a Alemanha (AfD), partido de extrema direita que prometeu “caçar” a chanceler e suas políticas. Eleito pela primeira vez há 45 anos, Schauble é o parlamentar mais antigo em atividade do Bundestag, e, caso seja efetivado no cargo, será responsável por conduzir a pauta de debates em um Parlamento que, pela primeira vez em sua história, terá a participação do AfD  – a legenda conquistou 94 cadeiras, mas pode ver os números diminuir após o anúncio que uma de suas líderes vai atuar como independente.

Christian Lindner, líder do Partido Liberal-Democrata (FDP), manifestou o seu apoio à decisão. O parlamentar, cuja legenda deve integrar um novo governo de coalizão com o Partido Democrata-Cristão de Merkel ao lado do Partido Verde, disse que Schauble é dono de “autoridade natural” e será muito bem-vindo para presidir o Bundestag.