Para 2008, papa Bento XVI fala sobre ameaças

Em sua mensagem de ano novo, o papa Bento XVI advertiu nesta terça-feira sobre os os perigos que ameaçam a humanidade. Em mensagem divulgada na primeira missa de 2008, realizada na Basílica de São Pedro, o pontífice deu destaque à questão armamentista, e disse que “todas as pessoas de boa vontade” devem chegar “a acordos concretos com vistas a uma eficaz desmilitarização, principalmente no campo das armas nucleares”.

Neste 1º de janeiro, que também marca a celebração do Dia Mundial da Paz pela Igreja Católica, Bento XVI apontou como outras ameaças à humanidade os conflitos da África e do Oriente Médio, a destruição do meio-ambiente e a dissolução da família como instituição. “A humanidade sofre hoje, infelizmente, grandes divisões e fortes conflitos que lançam densas nuvens sobre seu futuro”, diz o texto, intitulado “Família humana, comunidade de paz”.

Bento XVI dedicou um espaço de sua mensagem para a questão ambiental. “Temos que cuidar do meio-ambiente: este foi confiado ao homem para que o cuide e o cultive com liberdade responsável, tendo sempre como critério orientador o bem de todos”. O papa também voltou a criticar as políticas que “minam a família tradicional. Para ele, “a primeira e insubstituível educadora da paz”.