Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Países latino-americanos denunciam ‘golpe encoberto’

Nicarágua, Bolívia e Venezuela recorrem à OEA para pedir respeito ao processo

A Organização dos Estados Americanos (OEA) pediu nesta sexta-feira o “respeito ao devido processo” no julgamento do impeachment do presidente paraguaio, Fernando Lugo, em um debate no qual os representantes de Nicarágua, Bolívia e Venezuela criticaram o que qualificaram de “golpe encoberto”.

Leia também:

Leia também: Parlamentares esperavam a hora certa para impeachment

Em uma sessão extraordinária para tratar da situação no Paraguai, que durou cerca de uma hora e da qual não surgiu uma resolução, os representantes do Conselho Permanente receberam vários relatórios da Secretaria-Geral sobre os eventos que levaram ao julgamento político contra Lugo no Senado e expuseram seus pontos de vista.

Ao abrir a sessão, o secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, deixou claro que a Constituição do Paraguai prevê a possibilidade de processar politicamente os presidentes e que isso deve ser respeitado. No entanto, Insulza disse que “a questão é se estão dando (a Lugo) as condições mínimas para realizar uma legítima defesa perante a rapidez do processo”.

Pressa – Insulza, que assinalou que tinha conversado com o próprio Lugo e o chanceler paraguaio, Jorge Lara, durante as últimas horas, afirmou que o processo está sendo “um tanto apressado” e se mostrou surpreso como se vai ditar uma “sentença com tanta rapidez”.

O julgamento contra Lugo por mau desempenho de suas funções foi aprovado na quinta-feira, com um só voto contra, pela Câmara dos Deputados e agora passa pela avaliação do Senado, que atua como tribunal, segundo o procedimento estabelecido na Constituição.

(Com agência EFE)