Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Países árabes cortam relações com Catar por apoio a terrorismo

Arábia Saudita, Egito, Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Líbia e Iêmen acusam país de promover instabilidade na região

Seis países do mundo árabe – Arábia Saudita, Egito, Emirados Árabes Unidos (EAU), Bahrein, Líbia e Iêmen – decidiram cortar todas as relações diplomáticas com o Catar. A decisão foi tomada durante a manhã desta segunda-feira (horário local), após acusações feitas pelos governos de que a monarquia do Catar estaria trabalhando para promover a instabilidade na região, além de financiar grupos terroristas.

As tensões entre os países árabes têm ganhado força nos últimos meses, com crescentes acusações por parte da Arábia Saudita de que o governo de Doha apoiaria a instabilidade na região, além de promover uma aproximação indesejada com o Irã, força antagonista aos sauditas na região. Na último dia 27, o emir do Catar, Tamim bin Hamad Al Thani, parabenizou o presidente iraniano Hasan Rouhani pela sua reeleição, o que foi visto como uma afronta.

A monarquia da Arábia Saudita cortou relações, segundo comunicado em sua TV estatal, por causa “do apoio [do Catar] a diversos grupos sectários e terroristas focados em desestabilizar a região”. O ministro de relações exteriores do Egito acusou o pequeno país no golfo pérsico, que será sede da Copa do Mundo de 2022, de promover uma “aproximação antagônica”, onde “todos os esforços feitos para parar o apoio do Catar a grupos terroristas falharam”. O ministro das relações exteriores do Catar respondeu que as medidas são “injustificadas e baseadas em alegações que não têm base nos fatos”.

Apesar de ainda não estar claro como essas medidas serão tomadas, a Arábia Saudita já anunciou que soldados do Catar deverão ser imediatamente retirados das tropas que estão em batalha no Iêmen; além disso, todos os cidadãos do Catar nessas quatro nações devem deixar os países em, no máximo, duas semanas (assim como visitantes desses países que estão no Catar); e as missões diplomáticas nesses países devem ser fechadas em ambos os sentidos – as embaixadas do Catar em Abu Dhabi (EAU) e em Manama (Bahrein) devem encerrar suas atividades até quarta-feira.

Os Estados Unidos já afirmaram que a crise não influenciará as missões mantidas pelo país na região. “Não espero que isso tenha impacto significante, se é que terá impacto, na luta unificada luta contra o terrorismo, na região ou globalmente falando”, declarou o secretário de estado norte-americano, Rex Tillerson, durante visita a Sydney, na Austrália.

As quatro nações árabes também planejam cortar o acesso terrestre, feito apenas pela fronteira com a Arábia Saudita, e o tráfego marítimo e aéreo com o Catar.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Se voce nunca leu as profecias da Bíblia seria interessante dar uma olhada. Esta tudo la explicado com detalhes. No dia 23 de setembro deste ano acontecera um alinhamento planetário descrito no livro de Apocalipse capitulo 12. Sinais do fim dos tempos.

    Curtir

  2. vital pontes

    Se não é capacho dos EUA e dos sauditas…é terrorista aos olhos deles. viva os simpsons !!!!

    Curtir

  3. Catar financia o Hamas. Porém ……
    Pior mesmo é a Arabia Saudita, que financia o ISIS.

    Curtir

  4. Sempre Alerta

    Inimigos da Humanidade

    Curtir