ONU pode eleger mulher como vice-secretária

Representante ajudaria o novo secretário com crises globais

Uma mulher poderá assumir a vice-secretaria da Organizações da Nações Unidas, após a eleição do português António Guterres como próximo secretário-geral da entidade. A aprovação deve ser feita na próxima semana pela Assembleia Geral da ONU.

A expectativa de que uma mulher ocupasse o cargo máximo da diplomacia internacional caiu por terra quando a informação sobre o acordo dos membros do Conselho de Segurança para eleger Guterres foi divulgada, na última quarta-feira. O ex-primeiro-ministro de Portugal, que já liderou o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, sucederá o sul-coreano Ban Ki-moon, no cargo desde 2007.

LEIA MAIS:
ONU alerta brasileiras para golpe de estrangeiros na internet
Conheça Antonio Guterres, o novo secretário-geral da ONU
Português será indicado como novo secretário-geral da ONU

Durante sua campanha, Guterres deu como certa a nomeação de uma mulher, pois é “fundamental a paridade de gênero” nas Nações Unidas. Guterres, veterano na política e na diplomacia, foi primeiro-ministro de Portugal entre 1995 e 2002 e líder do Alto Comissariado para Refugiados de 2005 a 2015. Assumirá o cargo em 1º de janeiro de 2017 e seguirá seu mandato até 31 de dezembro de 2021.

Sua experiência o colocou como o favorito desde o primeiro voto preliminar do Conselho de Segurança, embora houvesse o receio de que Moscou, que pressionava pela eleição de um candidato do leste europeu, vetasse Guterres. Além disso, as tensões entre os Estados Unidos e a Rússia poderiam causar um processo longo e complexo. Portanto, a eleição rápida e unânime de Guterres surpreendeu.

(Com ANSA)