Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Obama explicará seu compromisso com nova era de associação com A.Latina

Cartagena (Colômbia), 14 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, explicará neste sábado no encerramento do fórum de empresários seu compromisso com a ‘nova era de associação’ com a América Latina, que inclui maior colaboração econômica e trabalhar para conseguir acesso universal à eletricidade na região em uma década.

O comércio entre o continente ‘é a metade do que poderia ser. Está claro que podemos fazê-lo melhor’, destacará Obama em seu discurso diante dos empresários em Cartagena de India (Colômbia), conforme trechos adiantados pela Casa Branca.

‘Como presidente, assumi o compromisso com uma nova era de associação com a região, incluindo uma maior colaboração econômica’, sustentará Obama, que chegou na sexta-feira à Colômbia para participar da 6ª Cúpula das Américas, que será aberta neste sábado.

O presidente americano vai ressaltar que as exportações americanas à América Latina cresceram quase 50% nos dois últimos anos.

Pouco mais de 40% das exportações americanas seguem para a região, onde os EUA são, além do mais, o maior investidor estrangeiro.

‘Temos uma das relações comerciais do mundo mais dinâmicas’, sublinhará Obama, que encerrará o fórum junto ao líder colombiano e anfitrião da cúpula, Juan Manuel Santos, e da presidente do Brasil, Dilma Rousseff.

Ele defenderá por trabalhar por um ‘objetivo ambicioso’: conseguir o acesso universal à eletricidade em uma década, já que na região ainda há milhões de pessoas vivendo na escuridão.

Se os Governos e o setor privado trabalham juntos, ‘tenho certeza de que podemos batalhar por emprego, prosperidade e oportunidades que nossos povos buscam’, segundo o texto antecipado pela Casa Branca do discurso que pronunciará Obama.

Antes de chegar nesta sexta-feira a Cartagena, o presidente fez uma breve parada em Tampa (Flórida, EUA) para explicar a importância das relações comerciais com a América Latina e anunciar medidas para favorecer às pequenas e médias empresas americanas aumentarem suas exportações à região.

Enquanto isso, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, apresentou em Cartagena um plano que conta com o apoio do setor privado para ajudar às mulheres empresárias da América Latina a aceder com maior facilidade aos mercados e ao financiamento.

Obama quer aproveitar a cúpula que começa neste sábado para enfatizar precisamente a importância de aumentar os vínculos comerciais e econômicos com o continente.

Segundo a Casa Branca, o aumento desses laços dará impulso ao crescimento nos EUA e gerará empregos, em um momento em que a recuperação econômica é um dos assuntos que mais preocupa o eleitorado face ao pleito de novembro, nos qual Obama buscará a reeleição. EFE