Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

O que é o G20 e quais países fazem parte?

Entenda o que é o Grupo dos 20, suas atribuições e países-membros

Criado em 1999, o Grupo dos 20 (G20) é um fórum que reúne os principais países industrializados e emergentes do planeta. Nos primeiros anos, as nações eram representadas nos encontros periódicos do G20 pelos ministros das finanças e chefes dos bancos centrais.

Foi somente em 2008, no entanto, que surgiu a cúpula do G20, da qual participam os Chefes de Estado dos países-membros. Com o objetivo de enfrentar a crise financeira mundial desencadeada naquele ano, o G20 ganhou relevância e tornou-se o fórum central para a cooperação econômica internacional.

“Nos primeiros dias dramáticos da crise financeira de 2008, rapidamente se tornou evidente que a necessária coordenação de crises só seria possível ao mais alto nível político”, esclarece a página oficial do Grupo. Um ano depois, o principal debate foi a luta contra os paraísos fiscais. Desde então, além das questões estritamente econômicas, o grupo abordou temas como o clima, a energia ou o mercado de trabalho.

O G20 tem a ambição de ser mais representativo que o G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido), que reúne apenas os países mais ricos. Juntas, as economias do G20 (19 países + União Europeia) equivalem a dois terços da população mundial, 80% do comércio e 85% da riqueza produzida.

As nações que fazem parte do bloco são, por ordem de importância econômica:

Países-membros do G20

Os críticos do G20 questionam os critérios de formação do grupo, do qual não fazem parte Holanda ou Suíça, que têm economias mais importantes que as de países como Argentina, por exemplo. Também se pondera o fato de o fórum fazer sombra a instâncias internacionais que já tratam de questões econômicas, como o Fundo Monetário Internacional ou o Banco Mundial.

Atribuições do G20

O Grupo é um fórum que discute regularmente assuntos relacionados à estabilidade econômica global, oportunidades de diálogo sobre políticas nacionais e cooperação internacional com as instituições econômico-financeiras internacionais. Ele trata principalmente de temas como crescimento econômico, comércio internacional e regulamentação do mercado financeiro, além de questões adjacentes, como mudanças climáticas, mercado de trabalho, tecnologia, refugiados.

Uma das atribuições dos países do G20 é lutar contra os fluxos financeiros ilegais ou suspeitos através de listas de paraísos fiscais ou de medidas para evitar que as multinacionais escapem do pagamento de impostos. O G20 também está decidido a combater o financiamento ao terrorismo. Em 2016, a França pediu, entre outras coisas, que a comunidade internacional se engajasse na luta contra o tráfico de obras de arte, armazenadas sem nenhum controle nos chamados “portos francos”.

É um canal deliberativo, que visa incentivar a formação de consenso sobre questões internacionais, tanto na área política como da economia financeira internacional. Por ser um fórum informal e não uma organização internacional, no entanto, as decisões do G20 não têm impacto legal direto.

(com agências internacionais)