Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘NYT’ nomeia novo diretor de redação

Jill Abramson, que comandava o jornal desde 2011, será substituída por Dean Baquet

O The New York Times anunciou nesta terça-feira a troca no comando de sua redação. Jill Abramson, primeira mulher a assumir o cargo, será substituída pelo editor-chefe Dean Baquet. O inesperado anúncio foi feito pela empresa nesta quarta-feira. Questões administrativas foram apontadas como motivo da troca.

Baquet, de 57 anos de idade, é um repórter ganhador do Pulitzer e ex-editor do Los Angeles Times. Ele será o primeiro negro a assumir a diretoria de redação do NYT. “É uma honra ser chamado para liderar a única redação do país que é atualmente melhor do que era uma geração atrás. Que aborda o mundo com admiração e ambição a cada dia”, disse.

Jill destacou a nomeação de mulheres para a função de editor sênior como uma de suas principais conquistas. Ex-editora em Washington e repórter investigativa, ela assumiu a diretoria de redação em setembro de 2011.

Leia também:

‘New York Times’ corrige artigo de 1853 sobre caso retratado em ’12 Anos de Escravidão’

O presidente do New York Times, Arthur Sulzberger, disse não haver “nenhum outro jornalista melhor qualificado para assumir as responsabilidades” do que Dean Baquet. “Ele é um repórter excepcional e um editor com impecável julgamento das notícias que conta com a confiança e o apoio de seus colegas ao redor do mundo e por toda a empresa”.

Sulzberger também elogiou a agora ex-diretora, dizendo que sua liderança ajudou o jornal “em seu caminho para o futuro digital”, particularmente na supervisão de novas plataformas e produtos. Jill Abramson chefiou a estruturação da operação on-line do jornal, que tem se esforçado em aumentar a rentabilidade de suas operações digitais.

No mês passado, a companhia anunciou um aumento na receita vinda de anúncios no jornal impresso durante o primeiro trimestre. Foi a primeira melhora registrada desde o final de 2005, antes do surgimento do Twitter e quando o Facebook tinha apenas dois anos de existência, pontuou o Wall Street Journal, onde, aliás, Jill trabalhou antes de ir para o NYT.

O antecessor de Jill Abramson, Bill Keller, ocupou a função durante oito anos. Ele havia substituído Howell Raines, que deixou o cargo em 2003, depois do escândalo com a publicação de matérias inventadas pelo repórter Jayson Blair.

Em VEJA: Inferno na torre do Times

França – Também nesta quarta, Natalie Nougayrède, primeira mulher a ocupar o cargo de editora-chefe do jornal francês Le Monde, anunciou estar deixando o posto. Sua saída ocorre uma semana depois que sete dos onze editores-chefes-adjuntos pediram demissão por discordar de sua liderança. Ela comandava o jornal desde março do ano passado.