Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump nomeia genro para a Casa Branca e é acusado de nepotismo

Especialistas em ética questionam se o papel de Kushner no novo governo não violará a lei federal antinepotismo

Jared Kushner, genro do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, será nomeado assessor sênior da Casa Branca. A nomeação ainda não foi oficializada, mas já está provocando um debate sobre a legalidade da medida. Para muitos, o novo emprego do genro de Trump contraria uma lei federal que proíbe o nepotismo, ou seja, a concessão de postos no governo para parentes. Mas o advogado de Kushner, Jamie Gorelick, afirmou que não há barreira legal para que ele sirva como assessor da Casa Branca.

Especialistas em ética questionam se o papel de Kushner no novo governo não violará a lei federal antinepotismo e como ele separará seus negócios na área imobiliária para evitar conflitos de interesses. Segundo fontes, sua nomeação deverá ser formalmente anunciada até o fim da semana. A lei de 1967, criada depois que o presidente John F. Kennedy nomeou seu irmão como secretário de Justiça, proíbe funcionários públicos de contratar membros da família para agências que eles comandam.

Em entrevista à rede de televisão CBS News, Gorelick disse que a lei contra o nepotismo é anterior a outra lei que dá ao presidente norte-americano “poder irrestrito” para contratar quem ele quiser. Além disso, o advogado afirmou que a lei contra o nepotismo só se aplica às agências executivas americanas e não aos postos de trabalho existentes na Casa Branca.

Leia também
Trump deve escalar genro como assessor sênior 
Trump chama Meryl Streep de ‘Hillary lover’ após críticas
Putin tentou ajudar Trump com ciberataques, aponta relatório

Kushner é casado com Ivanka, a filha do presidente eleito. Desde a eleição, ele foi um dos principais assessores da equipe de transição para contatos com governos estrangeiros. Ele já fez contatos com autoridades israelenses e, na semana passada, encontrou-se com o ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Boris Johnson. No plano interno, ele também se reuniu com os líderes do Congresso e ajudou a entrevistar candidatos para trabalhar no gabinete do presidente eleito.

Ivanka Trump, que também desempenhou papel importante como assessora de seu pai durante a campanha presidencial, não vai assumir uma posição formal na Casa Branca, informou o gabinete de transição. Ela tem três filhos pequenos e seus planos imediatos estão se concentrando na mudança da família de Nova York para Washington.

(Com Agência Brasil e Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Geroldo Zanon

    O TRUMP esta começando a começando a governar igual o LULA esta botando só seus compadres

    Curtir

  2. Mauricio Mozart

    Deixa o cara governar!O outro era amiguinho do ISIS!

    Curtir

  3. Napoleao Gomes

    aprendeu com Beto Richa no Paraná!

    Curtir

  4. Nico Pedreiro

    Já era esperado, não é mesmo? Outro estelionato eleitoral….

    Curtir

  5. Antonio Pedro

    Pode chorar esquerdalhas, vai ter genro sim!

    Curtir

  6. Aloisio Barros

    Esse não dura um ano.

    Curtir

  7. JOÃO CARLOS FÉLIX DA SILVA

    Incredible, pensei que nepotismo só acontecia em república bananeira.

    Curtir