Negociações positivas sobre o tema nuclear

As negociações deste sábado entre as grandes potências e o Irã destinadas a acalmar as tensões sobre o programa nuclear iraniano são positivas e tornam possível prosseguir com as negociações, declarou um porta-voz europeu presente em Istambul.

As discussões são “positivas, totalmente diferentes” das anteriores, que fracassaram há 15 meses na mesma cidade de Istambul, declarou à imprensa Michael Mann, porta-voz da chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton.

Ashton lidera a delegação do grupo dos “5+1” (Estados Unidos, Grã-Bretanha, China, Rússia, França, Alemanha), comprometida em discussões com o Irã que continuavam na noite deste sábado.

“Os princípios para novas negociações parecem reunidos”, acrescentou. Os iranianos “mostram-se dispostos a falar de seu programa nuclear, sem colocar condições, como o fizeram há 15 meses. Se isto seguir na mesma direção, estaremos prontos para iniciar um ciclo de negociações”, declarou uma fonte próxima dos “5+1”.

Um diplomata ocidental mencionou anteriormente a possibilidade de novas negociações em um prazo de “quatro ou seis semanas, se for possível”, talvez em Bagdá, como desejam os iranianos.

Igual entusiasmo de outro diplomata presente nas discussões, que registrou uma “mudança de tom” no negociador chefe iraniano Said Jalili.

“Ele (Jalili) entrou muito rápido no tema do programa nuclear” e “vimos claramente que o Irã (…) quer se comprometer em um processo sério”, disse o diplomata.

“A atmosfera é construtiva e as discussões, sérias”, disse o vice-ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Riabkov, que dirige a delegação russa.

E os Estados Unidos, como os outros países reunidos em Istambul, manifestaram o desejo de um encontro bilateral com o Irã, segundo o porta-voz europeu. “Todos os países expressaram o desejo de realizar reuniões bilaterais” com o Irã, disse.

O encontro bilateral, que teria constituído uma abertura importante em um tema tão sensível, foi rejeitado, no entanto, pelo Irã.

“Seu pedido foi apresentado em várias ocasiões, mas o Irã o rejeitou”, declarou à AFP uma fonte da delegação iraniana.

Os países ocidentais suspeitam que o Irã quer se dotar da arma nuclear e se preocupam pela capacidade adquirida pelo país de enriquecer urânio para utilização civil, embora também eventualmente militar.