“Não foi algo inocente”, diz Macron sobre aperto de mão com Trump

Presidente francês diz que usou gesto para demonstrar que não fará concessões

O presidente da França, Emmanuel Macron, assegurou que usou o aperto de mãos em seu colega americano, Donald Trump, durante a cúpula da Otan de Bruxelas, para demonstrar força.

“Não foi algo inocente (…) Era uma forma de mostrar que não vamos fazer pequenas concessões, ainda simbólicas, mas tampouco deve-se exagerar a importância [do gesto]”, afirmou Macron em declaração ao jornal francês Le Journal du Dimanche.

A imagem, muito comentada, mostra como ambos apertam com força a mão e se olham fixamente durante o seu primeiro encontro na quinta-feira passada na capital belga. Depois de cinco segundo, o presidente americano tenta finalizar o cumprimento,  mas Macron continua apertando a mão de Trump.

A imprensa do mundo interpretou a situação como uma queda de braço entre ambos os líderes, recém-chegados ao cargo e que participavam pela primeira vez de uma cúpula da Otan. Trump é conhecido pelo cumprimento com um aperto de mão poderosa.

Macron assegurou que com esse tipo de gesto tentará mostrar sua firmeza frente a líderes que analisam o cumprimento “como uma relação de forças”, entre os quais citou Trump, mas também “o presidente turco e o russo”.

Elogios

Apesar do aparente embate da quinta-feira, Macron teceu elogios a Donald Trump no sábado após a reunião de cúpula das sete economias mais fortes do mundo, o G7, na ItáliaMacron elogiou a capacidade de escutar de Trump e disse que encontrou alguém aberto e disposto.

“Vi um líder com fortes opiniões sobre vários assuntos, que compartilho em parte, como na luta contra o terrorismo”, disse Macron. “Vi alguém que ouve e que está disposto a trabalhar”, completou.

(com EFE e AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Eliane Moura

    É um bosta esse Micom.

    Curtir

  2. João Alves Araújo Filho

    Veremos brevemente a repetição da história.
    Os EUA e o Reino Unido resgatando a França!

    Curtir