Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Na Síria, cratera de bombardeio é usada como piscina

Explosivos atingiram uma tubulação em Alepo, uma das cidades mais devastadas pelo conflito. Local passou a ser usado por crianças

Uma cratera aberta por bombas lançadas sobre Alepo, a segunda maior cidade da Síria, transformou-se em uma piscina improvisada. Crianças brincam na água barrenta acumulada na cratera, em uma rua completamente devastada do bairro de Shar, na zona leste da antiga capital econômica, arrasada pela guerra civil. Com a temperatura próxima de 35 graus na cidade, e escassez crônica de água e energia elétrica, a “piscina” acaba sendo útil para os moradores. “Não temos água para tomar banho”, disse à agência France-Presse o adolescente Mustafa. “Às vezes, temos de vir aqui buscar.”

Vídeo: Equipe resgata bebê soterrado na Síria; assista

Segundo os moradores, a água começou a encher a “piscina” depois que explosivos lançados pelas tropas do regime de Bashar Assad caíram sobre uma tubulação. “Antes, caminhávamos até a piscina no centro da cidade. Hoje, as piscinas são crateras deixadas pelos barris de explosivos lançados”, afirmou Abdel Kader, de 12 anos. Desde 2012, Alepo está dividida entre zonas controladas pelas forças de Assad e os bairros comandados pelos rebeldes, submetidos a bombardeios aéreos diários. Os rebeldes, por sua vez, lançam ataques com morteiros contra a zona oeste, onde estão concentradas as áreas sob o comando do regime.

Leia também:

ONU autoriza envio de ajuda a áreas controladas por rebeldes

Bashar Assad decreta ‘anistia geral’ para criminosos