Na Polônia, Igreja pede a sacerdotes que não usem emoticons

Arquidiocese diz que uso dos símbolos em mensagens paroquiais "pode ser percebido como um comportamento infantil"

A Arquidiocese de Poznan, no oeste da Polônia, pediu nesta sexta-feira aos seus sacerdotes que não usem emoticons nas mensagens paroquiais, “já que estes podem ser percebidos como um comportamento infantil”. Em um comunicado, a cúria de Poznan reconhece que o uso de emoticons é algo comum no âmbito das redes sociais, mas, mesmo assim, pede que não seja parte das comunicações da Igreja.

A arquidiocese acredita que o uso de emoticons pode fazer com que a informação de conteúdo religioso seja recebida como algo “banal”. O porta-voz da cúria, o padre Maciej Szczepaniak, declarou a meios de comunicação locais que nos últimos anos se observou como o emprego de emoticons em anúncios paroquiais e sítios vinculados com a Igreja se tornou mais popular.

“Não se trata de um fenômeno muito grave, mas vemos que alguns sacerdotes estão tentando ser modernos quando se dirigem aos jovens, inclusive escrevem comunicações paroquiais em uma linguagem similar à usada nas redes sociais, e é precisamente a eles a quem se dirige esta petição”, destacou Szczepaniak.

Veja também

Para o porta-voz eclesiástico, a escritura de anúncios paroquiais e comunicações oficiais da paróquia “é algo muito sério, e os sacerdotes devem escrever de uma maneira comunicativa, mas também concisa e séria”. Szczepaniak afirmou que o uso de emoticons faz com que às vezes os sacerdotes não prestem a atenção devida ao conteúdo da mensagem, e escrevam comunicados que podem ser percebidos pela sociedade como infantis.

(com EFE)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Poderiam também pedir que não abusem de crianças e meninos.

    Curtir