Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mujica diagnostica Maduro: ‘Está louco como uma cabra’

Ex-presidente do Uruguai ficou espantado com a paranoia do chavista, que acusou o uruguaio Luis Almagro, secretário-geral da OEA, de ser um "agente da CIA"

O ex-presidente do Uruguai José Mujica disse nesta quarta-feira que o venezuelano Nicolás Maduro “está louco como uma cabra”. O diagnóstico veio depois dos ataques de Maduro ao uruguaio Luis Almagro, secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA). Irritado com a postura do órgão diante do referendo revogatório que ameaça o seu mandato, o chavista acusou Almagro de ser um “agente da CIA”.

Espantado com a paranoia de Maduro, o hoje senador Mujica saiu em defesa do compatriota. “Tenho grande respeito por Maduro, mas isso não me impede de lhe dizer que está louco.” E enfatizou: “Louco como uma cabra”. Sobre a acusação contra o secretário-geral da OEA, que foi chanceler durante seu governo, Mujica assegurou que ele “não é nenhum traidor nem funcionário da CIA”. “Almagro é um advogado, escravo do direito. Eu discordo de Almagro em algumas coisas, mas também discordo de Maduro.”

LEIA TAMBÉM:

EUA negam incursão de avião militar na Venezuela

Maduro prorroga decreto de ‘emergência econômica’

OEA – O secretário-geral da OEA também não deixou a provocação do venezuelano sem resposta. “Não sou agente da CIA. E sua mentira, mesmo que seja repetida mil vezes, nunca será verdade”, declarou Almagro em carta aberta divulgada nesta quinta.

O uruguaio afirma que Maduro se transformará em um “ditadorzinho” se impedir o referendo revogatório. “Negar a consulta ao povo, negar a ele a possibilidade de decidir, te transforma em mais um ditadorzinho, como tantos outros que o continente teve.”

Também chamado de “traidor” pelo chavista, Almagro rebateu: “Presidente, você trai seu povo e sua suposta ideologia com suas diatribes sem conteúdo, é traidor da ética da política com suas mentiras e trai o princípio mais sagrado da política, que é se submeter ao escrutínio de seu povo”.

(Da redação)