Ministério da Defesa abrirá arquivos para a Comissão da Verdade

Brasília, 4 jun (EFE).- O ministro da Defesa, Celso Amorim, colocou nesta segunda-feira os documentos do acervo militar à disposição da Comissão Nacional da Verdade, que investiga os casos de violações aos direitos humanos ocorridos entre 1946 e 1988.

‘Foi uma boa ocasião para reiterar o compromisso do Ministério da Defesa em colaborar com a Comissão da Verdade. Vamos facilitar todas as informações que nos forem pedidas e que possam ajudar os trabalhos da comissão. Designei uma pessoa, inclusive, para ficar em ligação permanente’, disse Amorim em declarações divulgadas pela ‘Agência Brasil’.

A Comissão da Verdade foi instalada em maio pela presidente Dilma Rousseff. Os sete integrantes do grupo se reuniram nesta segunda-feira pela primeira vez com o ministro da Defesa, após convite do coordenador do grupo, ministro Gilson Dipp, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Amorim se comprometeu a entregar os documentos conservados nos centros de informações do Exército (CIE), da Marinha (Cenimar) e da Aeronáutica (Cisa). EFE