Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Marechal al-Sisi indica que vai concorrer mesmo à Presidência do Egito

Chefe do Exército disse que não pode “ignorar maioria” que deseja que ela se candidate

O chefe do Exército e ministro da Defesa do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, disse nesta terça-feira que não pode “virar as costas” e “ignorar a maioria” da população se os egípcios desejam que ele concorra à Presidência e que tomará medidas oficiais em breve, informaram meios de comunicação estatais.

Os comentários de Al-Sisi, feitos em um discurso para cadetes militares e reportados pela agência estatal de notícias Mena, são os mais indicativos até agora de sua intenção de concorrer. Em janeiro, ele já havia dito que pretendia se candidatar caso houvesse clamor popular.

Leia também:

Putin ‘abençoa’ candidatura de Al-Sisi à presidência do Egito

Primeiro-ministro egípcio renuncia e dissolve governo interino

Corte egípcia condena à morte 26 acusados de planejar ataques terroristas

Novo premiê promete ‘esmagar terrorismo’ no Egito

Autoridades próximas a ele disseram que o marechal deixará o cargo de ministro da Defesa após a aprovação de uma lei para regulamentar a eleição prevista ainda para este semestre. A lei deverá ser aprovada pelo presidente interino Adly Mansour nesta semana ou na próxima.

O militar liderou a derrubada em julho do presidente Mohamed Mursi, ligado ao grupo político-religioso Irmandade Muçulmana, que foi acusado de tentar islamizar o país. Nas últimas semanas, o governo interino que assumiu após a queda de Mursi tem passado por mudanças que estão sendo interpretadas como movimentos para abrir caminho para al-Sisi. Entre elas está a renúncia do primeiro-ministro Hazem al-Beblawi, que deixou o cargo sem apresentar justificativa. No seu lugar foi nomeada o ministro da Habitação, Ibrahim Mahlab.

(Com Estadão Conteúdo)