Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Manchester: adolescente e menina de 8 anos estão entre as vítimas

Saffie Rose Roussos e Georgina Bethany Callander estão entre os 22 mortos no atentado após o show da cantora Ariana Grande

A menina Saffie Rose Roussos, de 8 anos, e a jovem Georgina Bethany Callander, 18, foram as primeiras vítimas identificadas do atentado terrorista que deixou 22 mortos em Manchester, na noite de segunda-feira. Outras 59 pessoas ficaram feridas, entre elas doze crianças e jovens com menos de 16 anos, segundo o serviço de ambulância da região.

O ataque, reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI), aconteceu às 22h33, no horário local (18h33 em Brasília) e foi provocada por um homem-bomba. A grande explosão ocorreu na saída de um show da cantora americana Ariana Grande, por isso, um grande número de menores de idade e seus familiares estavam presentes.

Georgina, a primeira vítima a ter a identidade divulgada, estudava Saúde e Cuidado Social na faculdade Runshaw College, no condado de Lancashire. A adolescente era uma grande fã da cantora e havia publicado fotos ao lado de Ariana há dois anos em seu Instagram, com a mensagem “abracei ela bem forte e ela disse que amou meu laço. Não consigo superar isso, nunca vou!”. Ansiosa para o show de ontem, Georgina havia escrito para a americana no Twitter que estava muito animada para vê-la.

Em nota, a Runshaw College confirmou o falecimento da aluna e disse que instituição está preparada para dar apoio aos alunos. Amigas de Georgina publicaram mensagens emocionadas nas redes sociais e fotos de momentos com a jovem. “Tenho muita sorte de ter encontrado e conhecido você”, escreveu uma amiga no Twitter. “A minha linda melhor amiga, espero que descanse em paz”, disse outra.

Saffie, outra vítima do ataque, estava no show com sua mãe, Lisa Roussos, e a irmã Ashlee Bromwich, que estão em tratamento em um hospital de Manchester, segundo o jornal The Guardian. A criança frequentava a escola primária Tarleton, em Lancashire.

A diretora do colégio Saffie, Chris Upton, disse ao Guardian que ela era “uma menina linda em todos os aspectos da palavra”. “Saffie era calma e despretensiosa, com uma veia criativa. Era amada por todos e sua bondade será lembrada com carinho”, comentou.

Desaparecidos

Nas redes sociais, diversas mensagens sobre familiares desaparecidos foram compartilhadas após o show, que tinha cerca de 21.000 pessoas na plateia. No Facebook, a mãe Deborah Hutchinson fez um pedido de ajuda para encontrar seu marido, Philip Tron, e a filha Courtney, que foram ao evento e não foram encontrados até a manhã de hoje.

A busca dos parentes foi dificultada por notícias falsas que circularam amplamente na internet durante a madrugada. Uma delas dizia que o hotel Holiday Inn abrigava sessenta crianças em busca dos pais. O hotel declarou que chegou a ajudar alguns pessoas após a explosão, mas precisou publicar uma nota de esclarecimento para informar que não havia nenhum menor perdido no local.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Osmar Serrragem

    O que será um “homem bomba”? Será um “militante”? Ou então um assassino em massa? Um canalha? Ah…O jornalismo objetivo veta adjetivos. Mas eu sou uma pessoa comum, então posso dizer. Assassino canalha! A boa e velha indignação…

    Curtir

  2. Gustavo Costa de Oliveira

    Osmar Serragem, vc tambem é ruim de adjetivos.. eu sou uma pessoa comum, posso dizer: MUÇULMANO.. o Islã deve ser extinto da face da terra

    Curtir