Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Livro de Hitler será publicado pela 1ª vez na Alemanha desde a guerra

Versão comentada de 'Mein Kampf' será lançada em 2015

O livro Mein Kampf (Minha Luta, em português), escrito por Adolf Hitler, será republicado na Alemanha pela primeira vez desde a II Guerra Mundial, anunciaram nesta terça-feira as autoridades do estado da Baviera (sul do país), que detém os direitos da obra. A versão, comentada, está prevista para ser lançada em 2015. As informações são da agência alemã DPA.

O ministro das Finanças da Baviera, Markus Söder, anunciou que a decisão foi tomada depois de muitas discussões com juristas e intelectuais. Um dos objetivos é desmistificar a obra, que mistura elementos autobiográficos e fundamentos da ideologia nazista. “Queremos mostrar claramente a que ponto esse livro é absurdo”, destacou. As autoridades pretendem também tornar “futuras publicações pouco atraentes, do ponto de vista comercial”. A obra deve cair em domínio público no final de 2015 (70 anos após a morte de Adolf Hitler).

Leia também:

Leia também: Os alemães sabiam – e aplaudiam – atrocidades do nazismo

A Baviera tem bloqueado, até o momento, qualquer reedição integral ou parcial do texto, para evitar uma exploração eventual do conteúdo por grupos neonazistas.

No início de março, uma revista editada pelo britânico Peter McGee, Zeitungszeugen, quis republicar passagens da obra, mas a Justiça alemã vetou. A proibição foi motivo de debate. O presidente do Conselho Central dos Judeus da Alemanha, Dieter Graumann, por exemplo, afirmou, na época, não se opor com veemência ao projeto. “Melhor seria que não fosse publicado. Mas, em caso de publicação, é preferível que saia acompanhado de comentários pedagógicos”, disse.

Redigido por Hitler durante sua prisão, em 1924, o livro chegou a ser distribuído como presente de casamento na década de 1930. Dez milhões de exemplares em alemão foram editados até 1945, segundo o historiador Ian Kershaw.

Leia também:

Leia também: Hitler em pessoa planejou golpe contra governo austríaco

(Com agência France-Presse)