Líderes mundiais condenam saída dos EUA do Acordo de Paris

Ministérios das Relações Exteriores e do Meio Ambiente divulgaram uma nota em que afirmam que o Brasil seguirá comprometido com combate à mudança climática

A decisão presidente Donald Trump de retirar os Estados Unidos do Acordo do Clima de Paris, anunciada nesta quarta-feira, provocou a reação de diversos líderes mundiais, que condenaram o gesto.

Além dos Estados Unidos, apenas a Síria e Nicarágua não participam do Acordo do Clima de Paris, firmado por quase 200 países na capital francesa em 2015. O pacto almeja limitar o aquecimento planetário e em grande parte se baseia no corte do dióxido de carbono e outras emissões resultantes da queima de combustíveis fósseis. A saída dos Estados Unidos coloca em risco a manutenção do compromisso por outras potencias altamente poluidoras, como China e Rússia.

Confira as principais reações:

No Brasil, os Ministérios das Relações Exteriores e do Meio Ambiente divulgaram uma nota conjunta em que afirmam que “o governo brasileiro recebeu com profunda preocupação e decepção o anúncio”. O comunicado aponta preocupação com o impacto negativo da decisão na cooperação mundial em desafios globais e reafirma o compromisso do pais. “O Brasil continua comprometido com o esforço global de combate à mudança do clima e com a implementação do Acordo de Paris”, diz.

O presidente da França, Emmanuel Macron, fez um pronunciamento lamentando a decisão e publicou inúmeros posts defendendo o acordo em sua conta no Twitter. Macron afirmou que o acordo climático de Paris não pode ser renegociado e apontou que “não há plano B para o planeta”.

Sobre o clima, não há plano B. Porque não há planeta B. 

A primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, lamentou a saída dos Estados Unidos do acordo e afirmou que vai “continuar trabalhando para salvar nossa Terra”.

A Comissão Europeia declarou que sente profundamente a decisão e buscará novas alianças para combater a mudança climática.

O ex-presidente Barack Obama que ajudou a mediar o pacto, divulgou uma declaração em que diz os Estados Unidos se juntam a “um pequeno punhado de nações que rejeitam o futuro”, mas diz afirma estar confiante de que “nossos estados, cidades e empresas vão intensificar e fazer ainda mais para liderar o caminho e ajudar a proteger as gerações futuras do planeta que temos”.

O porta-voz da ONU, Stephane Dujarric, afirmou que a decisão de Trump é “uma grande decepção para os esforços globais para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e promover a segurança global”.

No Twitter, a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, chamou a decisão de irresponsável.

Dada a decisão irresponsável @POTUS em #ParisAccord, é mais importante ainda que líderes como @JerryBrownGov na Califórnia continuem pressionando.

O primeiro-ministro da Dinamarca, Lars Lokke Rasmussen, tuitou que este é um dia triste para o mundo, mas reforçou o compromisso do país.

É um dia triste para o mundo. A Dinamarca está pronta para continuar a batalha climática para salvar as gerações futuras. #ParisAgreement

Primeiro-ministro da Bélgica, Charles Michel, condenou o “ato brutal” de Trump e afirmou que o Europa reagirá para salvaguardar o futuro.

#ParisAccord protege nosso planeta! A Europa unida com @JunckerEU e @eucopresident reagirá para salvaguardar a nossa economia e o futuro das crianças

Eu condeno esse ato brutal contra #ParisAccord
@realDonaldTrump Liderança significa combater as mudanças climáticas em conjunto. Não abandonar o compromisso.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Odilon Moreira

    ,
    dizer que Trump é um retardado é ofender profundamente aos que tem deficiencia mental ; este sujeito é a prova viva de que não há na face da terra quadrúpede de crina laranja mais abjeto que ele , este ser repugnante , horroroso e burro .

    Curtir

  2. Ele Como bilionario e homem mais poderoso do mundo e burro… Imagina nois…

    Curtir

  3. Todos os lideres que postaram contra a saida estao contribuindo para destruicao de suas nacoes… Escocia querendo sair do reino unido e acolher os Ferrados do mundo. Dinamarca mesmo caminho. Belgica santuario slamico. Estao Ferrados e querem Ferrar os eua tmb, mas tramp nao vai deixar.. Go further trump

    Curtir