Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Kofi Annan alerta que situação na Síria se aproxima de insustentável

Fernando Puchol.

Genebra, 22 jun (EFE).- O enviado especial da ONU para a Síria, Kofi Annan, alertou nesta sexta-feira que a situação no país está muito perto de se transformar em insustentável e pediu para a comunidade internacional não transformar o conflito em uma ‘competição destrutiva’.

‘Se (os confrontos armados) continuarem se intensificando, chegará um momento em que não só a ONU, mas todo o mundo verá claramente que a situação não é sustentável e está além do controle das partes’, disse diante de jornalistas em Genebra.

A entrevista coletiva ocorreu depois da reunião com o chefe da Missão de Supervisão da ONU para a Síria (UNSMIS), general Robert Mood. Além disso, Annan voltou a ressaltar que é importante uma atuação rápida.

‘É urgente que nossas consultas resultem em resultados reais em breve’, ressaltou o diplomata ganês. Nessa linha, o enviado especial da ONU e da Liga Árabe afirmou que o primeiro passo para uma solução é o cessar-fogo autêntico entre as forças governamentais e a oposição.

Diante disso, Annan classificou como necessária uma unidade efetiva da comunidade internacional e a pressão real e construtiva dos Governos com influência na Síria, destacou Annan. ‘É o momento para os países com influência aumentarem o nível de pressão sobre as partes em conflito e demonstrarem o interesse de acabar com a violência’, disse.

O diplomata confirmou que mantém consultas frequentes com ministros de diversos países para realizar uma reunião internacional sobre a Síria. O encontro discutiria novas ações para aplicar as resoluções do Conselho de Segurança relativas ao plano de pacificação de seis pontos e o envio de quase 300 ‘capacetes azuis’ para vigiar um cessar-fogo.

Em princípio, a reunião seria realizada um dia depois de outra entre a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, e o ministro russo de Relações Exteriores, Sergei Lavrov que ocorrerá na cidade russa de São Petersburgo no final deste mês. No entanto, ainda não tem data nem local confirmado.

A ideia de Annan é que participem do encontro representantes dos cinco países membros permanentes do Conselho de Segurança e representantes de outros Governos, setores sociais e políticos com influência no conflito sírio. Sobre uma eventual presença do Irã, o enviado especial disse que o país tem que fazer parte da solução.

‘Só trabalhando juntos podemos melhorar a situação na Síria. Mas, se seguimos competindo entre todos, pode ser uma competição destrutiva e terminaremos pagando todos, sobretudo os grupos mais vulneráveis na Síria’, falou se referindo às divisões entre os membros e as operações da UNSMIS.

Enquanto isso, o general Mood reconheceu que o desarmamento nem sempre é sempre cômodo, mas é essencial. ‘As situações pelas quais passamos são muito tentas, mas é mais eficaz que se cada um de nós tivesse uma pistola ou uma espingarda’, explicou. EFE