França aprova fechamento de campo de refugiados de Calais

Grupos de ajuda humanitária tentaram parar o fechamento do campo, por acreditarem que a França não conseguirá lidar de maneira adequada com os residentes

A Justiça da França rejeitou o pedido de grupos humanitários para postergar o fechamento do campo de refugiados e imigrantes em Calais, conhecido como “A Selva” pelas condições precárias de vida. As autoridades francesas devem retirar entre 6.000 e 10.000 imigrantes e refugiados do campo já nas próximas semanas. Os atuais residentes estão sendo realocados em outros pontos da França ou deportados.

Diversos grupos de ajuda humanitária entraram com um pedido de emergência na Justiça na última semana para tentar adiar o fechamento do campo, argumentando que as autoridades não estão preparadas para realocar os imigrantes e refugiados. Hoje, a Corte de Lille rejeitou o pedido, dando o último sinal verde necessário para o fim da Selva de Calais.

Grupos de caridade alertam que um grande número de refugiados não quer ficar na França e sim chegar ao Reino Unido. Por isso, há o perigo de que os imigrantes assentem um campo em outro local, para continuar na sua tentativa de cruzar o canal da Inglaterra. Neste meio tempo, Londres argumenta que imigrantes que buscam asilo precisam fazê-lo, sob as leis da União Europeia, no país de entrada.

Hoje, Calais abriga cerca de 10.000 pessoas na região portuária e é a passagem natural entre o continente europeu e as ilhas britânicas. Desde 2002, o campo recebe milhares de imigrantes que tentam atravessar o Canal da Mancha.

(Com Estadão Conteúdo)