Jovem morre após largar faculdade nos EUA e se juntar ao EI

Samy El-Goarany, de 24 anos, morreu em combate na Síria, dez meses após fugir de casa para lutar pelo grupo extremista

Aos 24 anos, o estudante universitário Samy El-Goarany trocou sua vida ao lado da família, nos Estados Unidos, para lutar pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI). Em janeiro de 2015, ao invés ir para o alojamento da faculdade em Nova York, fugiu para Turquia e cruzou a fronteira para a Síria. Documentos divulgados pela Procuradoria americana, na terça-feira, revelaram que o jovem morreu em combate, dez meses depois.

O triste caso veio à tona durante o julgamento de Ahmed Mohammed el Gammal, cidadão americano que morava no Arizona, possivelmente responsável por ajudar Goarany a fugir para a Síria. Ele foi preso no ano passado por participação em atividades extremistas e contatos com o EI. A dupla se conheceu em 2014, quando Goarany foi contatado por Gammal no Facebook, após fazer comentários favoráveis ao grupo terrorista em um fórum online.

Goarany, que era cidadão americano, frequentava uma faculdade em Manhattan, cujo nome não foi divulgado pela Justiça. Seus pais também viviam em Nova York. Depois de o jovem desaparecer em janeiro do ano passado, a família só teve notícias suas em novembro, quando foi contatada por extremistas.

Uma pessoa não identificada enviou aos pais de Goarany a foto de um bilhete, escrito à mão pelo universitário. “Se vocês estão lendo isso saibam que fui morto em combate”, dizia a nota. “Eu quero que saibam o quanto amo vocês, mas eu acho que palavras nunca serão suficientes para descrever”.

A Procuradoria de Nova York também afirmou que um vídeo de Goarany em setembro de 2015 foi encontrado durante a investigação. Já na Síria, o jovem dizia que foi por conta própria para o país e não teve ajuda externa, “nem mesmo de Gammal”.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Roberto Negromonte Santos Negromonte

    Já foi tarde! Como se pode ser tão imbecil?.

    Curtir