Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Israel declara trégua humanitária temporária em Gaza

Grupo Hamas afirmou que vai respeitar o cessar-fogo, anunciado depois da morte de quatro garotos palestinos em bombardeio

(Atualizado às 20h57)

Israel concordou com um cessar-fogo temporário por razões humanitárias que será observado das 10 às 15 horas desta quinta-feira, pelo horário local. Pouco depois do anúncio feito por Israel, o Hamas também afirmou que vai interromper seus ataques no período. As forças militares israelenses advertiram, no entanto, que se a janela humanitária for explorada pelo Hamas ou por outras organizações terroristas para lançar ataques contra civis ou contra alvos militares, a resposta será dada com “firmeza e determinação”.

O apelo por uma trégua foi feito pelas Nações Unidas, depois que o Hamas, grupo fundamentalista palestino que controla a Faixa de Gaza, rejeitou uma proposta pelo Egito para interromper a escalada de tensões na região. Israel observou uma cessar-fogo de seis horas na terça-feira, mas os disparos continuaram do outro lado. Além de rechaçar a trégua, o grupo palestino também se negou a participar de conversas no Cairo entre o presidente Abdel Fattah Sisi e o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas.

Leia também:

Israel recomenda que 100 mil palestinos deixem suas casas

Morre primeiro israelense durante operação militar em Gaza

Hamas não respeita trégua e Israel retoma bombardeios

Israel derruba drone lançado da Faixa de Gaza

O Hamas fala em um acordo mais amplo que, entre outros pontos, acabe com as restrições a movimentação nas fronteiras. O novo governo militar do marechal Sisi destruiu 90% dos túneis de contrabando entre o Egito e a Faixa de Gaza, impedindo a chegada de armas, carros e mercadorias. O comércio por esses túneis é uma das principais fontes de recursos do grupo terrorista.

A pausa humanitária servirá para abastecer a região. No último dia 8, Israel lançou uma operação militar para revidar o lançamento de centenas de foguetes a partir de Gaza. A ofensiva já deixou mais de 200 mortos. Um bombardeio nesta quarta provocou a morte de quatro garotos entre 9 e 11 anos de idade em uma praia em Gaza. As forças de Defesa de Israel afirmaram que estão investigando o ocorrido, e acrescentaram que “com base em resultados preliminares, o alvo deste ataque eram agentes terroristas do Hamas”, segundo a rede BBC.

Os terroristas costumam ameaçar as pessoas que tentam fugir dos locais dos bombardeios justamente para tentar fazer com que as imagens de vítimas civis choquem o mundo. Em pelo menos uma dessas oportunidades, a Força Aérea israelense suspendeu um ataque depois que dezenas de civis subiram em um prédio que seria bombardeado. Os civis estavam sendo usados para proteger instalações do Hamas.

(Com agências Reuters e EFE)