Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Irmão de ativista cego conta como foi torturado por polícia

Chen Guangfu detalha que foi algemado a uma cadeira e espancado por três dias pelas autoridades que queriam saber como o seu irmão fugiu do cárcere

O irmão do ativista chinês cego Chen Guangcheng detalhou à imprensa de Hong Kong nesta sexta-feira como foi torturado pela polícia chinesa depois que Chen conseguiu escapar de sua prisão domiciliar e buscou abrigo na embaixada dos EUA. Segundo Chen Guangfu, ele foi algemado a uma cadeira e espancado por três dias pelas autoridades que queriam saber como o irmão conseguiu fugir do cárcere.

“Eles me fizeram sentar em uma cadeira, acorrentaram meus pés com correntes de metal e prenderam minhas mãos com algemas nas minhas costas”, contou. “Primeiro, me perguntaram o que eu sabia sobre a fuga do meu irmão. Eu respondi que não sabia de nada. Então, eles me deram um tapa na cara e pisaram nos meus pés”, disse Guangfu à revista iSun Affairs.

Guangfu contou que ele e o filho, Chen Kegui, foram presos sob a acusação de tentativa de assassinato dos policiais que invadiram sua residência em busca do irmão cego. Um grupo de advogados independentes, que se ofereceu para defender Guangfu e Kegui, foi dispensado pelas autoridades e alertado para que “não falassem sobre o caso”.

Segundo ele, os policiais pareciam saber a identidade das pessoas envolvidas na fuga de Chen. Guangfu diz que tentou resistir e dizer que era o único responsável por arquitetar a saída do irmão da prisão domiciliar. No entanto, após três dias, ele acabou revelando nomes e informações.

Filho – A mulher de Guangfu, Ren Zongju, também contou à revista como forças de segurança chinesas invadiram sua casa e bateram no filho Kegui. “Eles começaram a briga dentro de casa. Muitas pessoas estavam batendo nele. Seu rosto e pernas estavam sangrando. A calça ficou toda rasgada”, contou a mãe. “Ele disse: ‘Mãe, preciso sair daqui’. Eu tinha 1.000 yuans (cerca de 158 dólares) e dei tudo para o meu filho.”

Kegui continua preso na penitenciária de Yinan, no centro da província, acusado de tentativa de homicídio, de acordo com o advogado Liu Weiguo. No início de maio, Chen, que permanece internado com problemas no sistema digestivo, denunciou ao jornal britânico Guardian que autoridades chinesas estariam se vingando em sua família.

Leia mais:

Leia mais: ‘Só saí da China porque a considero um aterro, uma prisão’, diz Liao Yiwu