Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Irã nega ligação com plano para matar embaixador saudita

EUA anunciaram desarticulação de trama terrorista do governo iraniano

Fontes da missão do Irã na ONU rejeitaram “categoricamente” o envolvimento de Teerã na trama terrorista denunciada nesta terça-feira pelos Estados Unidos para assassinar o embaixador saudita em Washington, Adel al-Jubeir, além de um atentado a bomba contra a embaixada israelense.

“Rejeitamos categoricamente essas acusações infundadas”, declarou o encarregado de imprensa da representação diplomática iraniana nas Nações Unidas, Alireza Miryousefi, que evitou por enquanto dar detalhes na resposta oficial de Teerã à acusação de Washington.

Autoridades americanas anunciaram nesta terça-feira a desarticulação de uma trama vinculada ao Irã para cometer “um grande ato terrorista nos Estados Unidos”. Dois homens, suspeitos de envolvimento com “entidades do governo iraniano”, foram acusados de conspiração por planejarem os atentados, disse o secretário de Justiça americano, Eric Holder.

O FBI (polícia federal americana) e a DEA (agência antidrogas americana) descobriram o complô quando um dos suspeitos entrou em contato com um agente secreto informante da DEA – que se passava por membro do cartel de drogas mexicano Los Zetas – para pedir assistência para assassinar o embaixador saudita, Adel al-Jubeir.

Os dois suspeitos foram identificados como Manssor Arbabsiar e Gholam Shakuri. Segundo o secretário de Justiça americano, eles teriam recebido 1,5 milhão de dólares do governo iraniano para cometer os atentados.

(Com agência EFE)