Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Irã inaugurará sua primeira usina nuclear no final de agosto

A comunidade internacional teme que o país queira construir armas atômicas

Depois de mais de 30 anos de construção, o Irã espera inaugurar sua primeira usina nuclear no final de agosto, assegurou nesta terça-feira o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores iraniano, Ramin Mehmanparast. “Mantemos consultas com as autoridades da Rússia, país que dirige a construção da usina em Bushehr, para determinar a data de inauguração”, disse Mehmanparast em sua habitual entrevista coletiva das terças-feiras. Ele explicou ainda que a usina está quase pronta e passa pela fase de “testes de conexão à rede”.

No dia 9 de maio, os engenheiros iranianos completaram a última fase de abastecimento de combustível nuclear ao reator da usina de Bushehr. Esse reator teve que ser esvaziado no início de abril, quando os engenheiros russos detectaram um problema nas bombas de esfriamento da central nuclear, o que obrigou o país a atrasar pela terceira vez o lançamento da central.

Histórico – O Irã começou a construir a usina nuclear nos anos 1970, com ajuda alemã, mas o projeto foi interrompido pelo triunfo da Revolução Islâmica, que em 1979 depôs o último xá da Pérsia, Mohammed Reza Pahlevi. A construção foi retomada há 10 anos, com a colaboração da Rússia, e as obras foram concluídas no ano passado após diversos atrasos.

Alguns especialistas nucleares internacionais acreditavam na possibilidade de que o atraso se devesse a um ataque em massa que o Irã sofreu em setembro do ano passado com o vírus Stuxnet, pelo qual as autoridades responsabilizaram os Estados Unidos e Israel.

Embora o regime iraniano admitisse que várias centrífugas para o enriquecimento de urânio e sistemas IP foram prejudicadas pelo Stuxnet, insistiu que a central de Bushehr não foi prejudicada. O programa nuclear civil iraniano está sob suspeita da comunidade internacional, que teme que oculte seu objetivo de construir armas atômicas, o que Teerã rejeita.

(Com agência EFE)