Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Identificados os dois homens que atacaram exposição no Texas

O FBI identificou os terroristas como Elton Simpson e Nadir Soofi. Há cinco anos, Simpson tentou ir à África para se unir a grupos jihadistas

(Atualizado às 21h38)

O FBI (a polícia federal americana) identificou nesta segunda-feira os dois homens que atacaram a exposição de caricaturas de Maomé em Garland, no Texas. Elton Simpson, do Arizona, era um dos radicais e já tinha sido investigado por terrorismo, informou a emissora CNN. Agentes do FBI revistaram durante a madrugada de hoje, com a ajuda de um robô, o apartamento de Simpson em Phoenix, no Arizona.

Simpson foi detido há cinco anos quando tentava viajar à África para se unir a um grupo jihadista, mas foi posto em liberdade porque a promotoria não conseguiu provas suficientes para que fosse condenado por seus planos. Segundo a imprensa americana, Simpson tinha publicado ameaças contra o evento de Garland nas redes sociais, a última apenas meia hora antes do atentado, com a hashtag “#TexasAttack”.

Leia também

EUA: polícia mata dois atiradores perto de exposição de charges de Maomé

Cartunista do ‘Charlie Hebdo’ não fará mais charges de Maomé

Polícia prende suspeito de planejar ataque terrorista em Paris

O segundo atirador, Nadir Hamid Soofi, de 34 anos, não era conhecido do FBI. Sua página no Facebook diz que ele se formou em uma universidade no Paquistão, porém ainda não está claro se ele era cidadão paquistanês. Segundo fontes próximas ao caso, Soofi morava no mesmo apartamento que Simpson.

Os cúmplices foram mortos na tarde de domingo no Centro Curtis Culwell, em Garland, quando abriram fogo contra os policiais que faziam a segurança do local. Durante o ataque, um policial ficou ferido no tornozelo. Agentes da equipe antibombas inspecionaram durante horas o veículo dos dois em busca de explosivos, mas detalhes da investigação ainda não foram divulgados.

Cerca de 200 pessoas, segundo a polícia, tinham ido à exibição no Centro Curtis Culwell, que estava sendo monitorado por um dispositivo especial da polícia e agentes de segurança privada por causa das ameaças terroristas que tinha recebido.

(Da redação)