Hugo Chávez acusa oposição de fazer bruxaria contra ele

Em mais um de seus devaneios, também pede a seus seguidores que façam um esforço "sobre-humano" para que ele ganhe as eleições em outubro deste ano

Em mais um de seus devaneios, o presidente venezuelano Hugo Chávez acusou a oposição de seu governo de ter feito uma “bruxaria” para impedir sua campanha eleitoral para tentar se reeleger nas presidenciais de 7 de outubro deste ano. Chávez também pediu a seus seguidores que façam um esforço “sobre-humano” para que ele ganhe as eleições em que enfrentará Henrique Capriles Radonski, que concorre como candidato da opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD).

Leia também:

Leia também: Chávez violou lei eleitoral 217 vezes em uma semana

“A contrarrevolução e a burguesia apostaram que eu não poderia nem caminhar, que estava à beira da morte, que não conseguia mais suspirar. Até bruxaria eles me fizeram, mas ando com Deus”, disse durante um comício eleitoral no estado venezuelano de Guárico (sul de Caracas). “Dou graças a Deus por me ter permitido vencer tantas dificuldades, sobretudo as de saúde, de me ter dado resistência e vida para estar com vocês, nesta nova campanha rumo ao 7 de outubro.”

Chávez espera conseguir uma reeleição com 70% dos votos, resultado que segundo ele seria “uma soberana sova à burguesia e à candidatura do principal candidato da oposição”. Ele também acusou o opositor Capriles de representar o passado “mais escuro” do país.

Leia também:

Leia também: ‘Chávez tem carta branca para intimidar’, diz Human Rights Watch’

O atual presidente da Venezuela possui uma sólida vantagem nas pesquisas de intenção de voto, a dois meses e meio das eleições. O Datanálisis, instituto com um histórico de acertos em eleições passadas, registra uma cômoda vantagem de 15,3 pontos para Chávez, com 46,1% das intenções de voto, contra 30,8% para Capriles. Porém, a evolução de sua saúde, o elevado número de indecisos e a campanha de Capriles podem alterar essa situação, segundo analistas.

Chávez, de 57 anos, foi operado a 26 de fevereiro, em Havana, a uma nova “lesão” de dois centímetros que, segundo o próprio, foi detetada no mesmo local, onde em junho de 2011 lhe tinha sido extraído um tumor com células cancerígenas. Desde então, o mandatário deu início a “uma nova vida, mais espiritual, mais reflexiva”, após ser diagnosticado com câncer na região da pélvis no ano passado.

Leia também:

Leia também: ‘Nova religiosidade de Chávez revela gravidade de câncer’