Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Hackers norte-coreanos roubaram documentos militares de Seul

O caso aconteceu em 2016 e foi revelado por um deputado da Coreia do Sul nesta semana; plano inclui ataques de 'decapitação' contra Kim Jong-Un

Hackers norte-coreanos roubaram no ano passado centenas de documentos militares sigilosos da Coreia do Sul, incluindo planos operacionais detalhados para tempos de guerra, que envolvem os Estados Unidos, informou uma fonte do governo local.

Rhee Cheol-Hee, deputado do Partido Democrático, no poder atualmente, afirmou que os hackers conseguiram entrar na rede militar sul-coreana em setembro de 2016 e tiveram acesso a 235 gigabytes de dados e documentos sigilosos. Entre os arquivos vazados estão os “Planos Operacionais 5015”, que descrevem as ações a serem tomadas em caso de uma guerra com a Coreia do Norte, incluindo procedimentos para ataques de “decapitação” contra o líder Kim Jong-Un.

Os hackers invadiram o Centro Integrado de Documentação de Defesa de Seul e roubaram também estratégias de operações conjuntas dos exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos

O caso de pirataria digital foi revelado em um momento de aumento das tensões na península coreana, alimentadas pelas ameaças permanentes do presidente americano, Donald Trump, sobre uma ação militar contra Pyongyang. Em seu último tuíte, no final de semana, Trump reiterou que os esforços diplomáticos com a Coreia do Norte fracassaram sistematicamente, e destacou que “apenas uma coisa funcionaria…”.

O porta-voz do Pentágono, o coronel Robert Manning, disse que estava ciente da denúncia sobre o ataque hacker, mas se negou a confirmar qualquer aspecto do mesmo. “Posso assegurá-los que confiamos na segurança de nossos planos operacionais e em nossa capacidade para fazer frente a qualquer ameaça da Coreia do Norte”, disse Manning a jornalistas no Pentágono.

(Com AFP)