Governo americano se prepara para interromper serviços públicos

A Casa Branca deu ordens para que as agências se preparem para suspensão a partir da próxima semana, por falta de verbas, segundo a Bloomberg

A Casa Branca ordenou nesta sexta-feira que as agências federais do governo comecem a se preparar para suspender os serviços públicos a partir da próxima semana por falta de verbas. As informações são da agência de notícias Bloomberg. A medida do poder Executivo ocorre em meio a discussões no Congresso sobre o orçamento para o restante de 2017, que pode deixar o governo sem dinheiro temporariamente enquanto não for aprovada.

Em dezembro, os congressistas aprovaram uma lei regulamentando provisoriamente os gastos do governo. A medida, porém, tem validade até a meia noite da próxima sexta-feira, 28. Diante da perspectiva de o governo ficar sem dinheiro para manter suas atividades, democratas e republicanos tentam fechar até o fim da semana uma outra lei, que cobriria  as necessidades federais até o fim deste ano fiscal, que se encerra no dia 30 de setembro.

Mas a pressão da administração de Donald Trump, que busca por uma realização para apresentar aos seus eleitores antes da marca simbólica dos 100 primeiros dias de mandato, pode atrapalhar as negociações dos deputados e senadores dos dois partidos.

Isso porque presidente quer que sejam aprovadas medidas que gerarão gastos bilionários – como o muro na fronteira com o México – ou que os democratas se opõe radicalmente, como o fim do Obamacare. Trump não tem tido problemas em conseguir apoio mesmo dos republicanos para aprovar um substituto para o sistema público de plano de saúde, e é possível que o tema volte à pauta na próxima semana.

Donald Trump se mostrou confiante que os parlamentares chegarão a um acordo e a administração pública não vai parar. “Acho que estamos em uma situação boa”, disse a repórteres na Casa Branca nesta sexta-feira. O assessor presidencial para orçamento, porém, disse na última quinta-feira que os democratas teriam que aceitar algumas das medidas desejadas por Trump.

Em 2013, a administração do então presidente Barack Obama também enfrentou uma suspensão dos serviços públicos devido ao impasse entre republicanos e democratas em aprovar o aumento do teto dos gastos do governo. A suspensão de setores do funcionalismo público por 16 dias terminou após a aprovação de lei que regulamentava os gastos por cerca de três meses.