Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Gazprom anuncia que vai aumentar preço do gás para Ucrânia

Gigante energética russa diz que novo regime de Kiev não está honrando pagamentos

O presidente da gigante de energia russa Gazprom, Alexei Miller, disse nesta terça-feira que, a partir de abril, deixará de vender gás à Ucrânia com desconto, uma ação que deve criar ainda mais dificuldades financeiras para as novas autoridades de Kiev. Os russos dizem que a decisão é “justa”, já que os ucranianos não estão conseguindo quitar suas dívidas.

“Nestas condições, quando a Ucrânia não cumpre as suas obrigações, não cumpre os acordos que se alcançaram com a concessão de um desconto como parte de um contrato, a Gazprom decidiu não continuar a conceder este desconto a partir do próximo mês”, disse Miller, citado por agências de notícias russas.

Leia também:

UE vira obstáculo a plano americano para deter Rússia

Rússia diz que só sai da Crimeia após “normalização da situação política”

Comandante da Marinha da Ucrânia passa para o lado russo

Operação militar russa é “declaração de guerra”, diz premiê da Ucrânia

Putin, sobre a Ucrânia: ‘Uso da força não está descartado’

A empresa estatal russa Gazprom já havia informado no sábado que a Ucrânia tem uma “grande” dívida de gás de 1,55 bilhão de dólares com a Rússia. Mais de 50% do gás consumido na Ucrânia vem da Rússia. Essa é a primeira que a Rússia usa diretamente sua posição como fornecedora de energia para pressionar o novo governo ucraniano.

No ano passado, a Naftogaz, a companhia ucraniana de gás, havia comprado 13 bilhões de metros cúbicos de gás a uma taxa de 400 dólares por 1.000 metros cúbicos. Em dezembro, ainda durante a Presidência do presidente destituído Viktor Yanukovich, a taxa foi reduzida para 268,5 dólares como parte de um gesto do Kremlin para atrair a Ucrânia ainda mais para sua órbita. À época, o país já enfrentava intensos protestos por causa da decisão de Yanukovich de não assinar um acordo de aproximação com a União Europeia e preferir barganhar com os russos. O mesmo pacote de bondades do Kremlin também incluía um empréstimo de 15 bilhões de dólares – até o momento 3 bilhões foram enviados.

Agora, segundo a Gazprom, as novas autoridades de Kiev, que rejeitam qualquer aproximação com os russos, não estão nem conseguindo pagar o gás com esse desconto substancial. Por outro lado, Alexei Miller sinalizou que a Gazprom pode oferecer um empréstimo de 2 a 3 bilhões de dólares para que a Ucrânia pague sua dívida. Ele não divulgou quais seriam as condições para esse possível empréstimo.

Ajuda – Em meio ao cenário de crescentes dificuldades econômicas da Ucrânia, os Estados Unidos anunciaram que vão oferecer 1 bilhão de dólares ao país no âmbito de um empréstimo internacional. O anúncio foi feito nesta terça-feira, logo após a chegada a Kiev do secretário americano de Estado, John Kerry, que vai se reunir com as autoridades do governo provisório.