Ameaça do furacão Matthew nos EUA continua; 5 pessoas morreram

Tempestade pode provocar graves inundações nas próximas horas

O furacão Matthew continuava seu perigoso trajeto neste sábado ao longo da costa leste dos Estados Unidos, ameaçando provocar graves inundações nas próximas horas. O país regista cinco mortes relacionadas à violenta tempestade.

Matthew deixou cenas de desolação e centenas de morte em sua passagem pelo Caribe, além de muitos danos em casas e campos de cultivo. No Haiti, o governo fala em cerca de 400 mortos, mas os relatos das equipes de resgates sugerem que esse número já passou de 800.

Até o momento, seu impacto sobre o estado da Flórida foi menos violento que o esperado, já que o olho do furacão não tocou terra. O furacão passou à categoria 1 na escala Saffir Simpson, de um máximo de 5, com ventos de até 120 km/h.

“Há risco de inundações mortais (…) ao longo da costa da Geórgia, da costa da Carolina do Sul e da Carolina do Norte”, advertiu o Centro Nacional de Furacões (NHC).

LEIA MAIS:
Vídeo: mar invade casa durante a passagem de furacão na Flórida

O presidente americano, Barack Obama, alertou que Matthew “ainda é realmente um furacão perigoso”. “Acredito que a maior preocupação neste ponto não é apenas a força dos ventos do furacão, mas o aumento do nível das águas costeiras”, disse Obama na Casa Branca.

O governador da Flórida, Rick Scott, advertiu na noite de sexta-feira através de uma mensagem no Twitter que “as inundações continuam no nordeste da Flórida. Permaneçam no interior!”.

Durante a sexta-feira, o pior da tempestade passou diante de Cabo Canaveral, onde a Nasa tem seu centro de lançamento de foguetes, e deixou “danos limitados no telhado das instalações do KSC (o Centro Espacial Kennedy)”, disse a instituição em seu site.

Em sua passagem pela Flórida, Matthew deixou cinco mortos. Uma mulher morreu ao ser atingida pela queda de uma árvore no condado de Volusia, e no condado de Putnam outra mulher morreu em circunstâncias similares quando uma árvore caiu sobre o veículo no qual havia se refugiado da tempestade. Outra mulher faleceu por um ataque cardíaco e um casal sucumbiu às emanações de monóxido de carbono procedentes de um gerador em sua garagem.

Os cortes de energia elétrica são uma das consequências do mau tempo que reina na região, com 11% dos consumidores da rede elétrica da Flórida afetados, ou seja, mais de 1,1 milhão de pessoas.

Em Jacksonville, muitas pessoas encontraram refúgio em hotéis e as crianças brincavam em seus salões enquanto os adultos conversavam na penumbra sobre outras tempestades que viveram.

“Os especialistas em meteorologia descreveram Matthew como uma tempestade que ocorre apenas uma vez em um século e sobre a qual nossos filhos e netos falarão por várias gerações”, comentou a prefeita desta cidade, Lenny Curry.

(Com AFP)